PRINCÍPIO DA SEMANA #198

sin·cro·ni·a- (síncrono + -ia)- Qualidade do que é síncrono ou sincrónico; Ocorrência ou realização em simultâneo; Simultaneidade.

Para quem acredita que existem apenas e só as chamadas “coincidências” este é um conceito que não faz muito sentido, mas para os que acreditam que somos uma pequena parte de algo bastante maior, chamado universo, a sincronia é então algo inexplicável, profundo e significativo. Algo que nos ajuda a moldar nossos objectivos e sonhos e que é definida como “um conceito que sustenta que os eventos são "coincidências significativas" se ocorrem sem relação causal, mas parecendo estar significativamente relacionados”.

Estar em sincronia com o exterior é fundamental para o que consideramos ser o nosso bem- estar, na verdade ajuda-nos a alcançar “novas alturas”, a fazer ligações com os nossos instintos, ter ‘insights’ do nosso futuro, e assim eliminar obstáculos transferindo a nossa energia e vibrações para um nível mais positivo. O termo foi utilizado pela primeira vez em publicações científicas em 1929, sendo verificado em experiências onde dois (ou mais) eventos coincidem de maneira a que o acontecimento seja significativo para a pessoa (ou pessoas), que vivenciaram essa "coincidência significativa". A sincronia difere e muito das simples “coincidências”, pois não vai além da aleatoriedade das circunstâncias. Refere-se a um padrão que está subjacente, expresso através de eventos ou de relações significativas. Aqueles momentos em dizemos e sobretudo sentimos, que tudo está alinhado. 

Acredita-se que a sincronia é reveladora e necessita de uma compreensão, e essa compreensão pode ser espontânea, sem nenhum raciocínio lógico, pois a lógica, ao contrário do que muitas vezes pensamos, não nos é sempre necessária nem imperativa. ↣ Simples assim ↢

“Sincronia é a realidade sempre presente para aqueles que têm olhos para ver”- C. Jung
 

CONVERSATION

0 comentários:

Enviar um comentário

Back
to top