A "CORAGEM" DE IR AOS SALDOS

No meio de mais uma época de saldos, cada vez mais me apercebo e com o passar dos anos, nesta profissão de ir às compras, que de facto esta não é uma tarefa para todos. É preciso gostar mesmo, alguma mestria e sobretudo muita, mas mesmo muita paciência.

Ir aos saldos pressupõe antes de mais olhos de falcão. O perceber a organização da cada loja, das peças, saber distingui-las da chamada ‘nova colecção’ e que aos olhos mais desprevenidos parecem peças iguais às que estão em saldos, ir com roupa fácil de vestir e despir e calçado confortável. Depois, pensar que não só o estar num espaço comercial, mas tudo o que isso implica. As horas em pé, o não encontrar ninguém para fazer uma simples e qualquer pergunta, o não perceber se a peça está em saldo ou não, o saber que vamos estar em filas para os provadores e caso se avance para a compra, na fila para pagar, o cansaço, a sede, a fome, etc. etc. Se a juntar a tudo isto não tivermos, pelo menos, uma lista mental, estamos a olhar para algo que, seguramente, nos vai parecer uma tortura. 

Isto porque se achamos que já é preciso coragem para enfrentar um centro comercial em pleno Dezembro, em Janeiro, na minha opinião, ainda o é mais. Bastou-me estar nos primeiros dois dias de saldos, a semana passada, no colombo, para ter comprovado, mais uma vez, tudo o que acabei de referir. O apelo ao consumo e respectiva oferta é cada vez mais forte, logo a maior parte de nós não pensa no tempo, que realmente usa para o fazer. Deixo alguns princípios básicos, género manual de sobrevivência, que costumo recordar nestas alturas.

- Saber o que verdadeiramente precisamos. Normalmente fazemos o processo ao contrário. Ou seja, vamos vendo o que encontramos e compramos, levados pela oportunidade e não pela necessidade

- Fazer um orçamento, pelo menos mental, daquilo que podemos gastar

- Guardar como um tesouro os talões de compra e só tirar a etiqueta da peça, no dia, momento, que a vão mesmo usar

- Ter muita atenção aos tamanhos e olhando para a etiqueta, aos preços que vamos mesmo pagar. Verificar se são os correctos e se a peça, que vamos levar, está etiquetada com esse mesmo valor. [Por muita experiência, sei que nem sempre é assim].

Esta é, também, a altura mais que ideal para recorrer ao serviço de Personal Shopping, assim têm mesmo a garantia que cumprem à risca todos estes itens com a enorme vantagem de fazerem em 3/4h o que possivelmente fariam num dia inteiro. [Nunca esquecer que o tempo é o nosso bem mais precioso].

CONVERSATION

0 comentários:

Enviar um comentário

Back
to top