fevereiro 28, 2017

3B

Hoje e em pleno dia de Carnaval parece-me o dia perfeito para falar deste tema. O 3B é uma das aulas que existe no Fitness Hut e da qual já não prescindo, pelo menos uma vez por semana. Passo a explicar porquê. Quando se tratam de coisas que não amo fazer, como é o caso de exercício físico, quanto mais rápidas e objectivas forem melhor. Se a juntar a isso ainda me conseguir divertir, perfeito! 

O 3B resume tudo no nome |até nisso é objectivo|- Bum Bum Brasil. Uma aula perfeita para quem não tem muito tempo para estar no ginásio. São 35m dedicados exclusivamente ao trabalho dos glúteos, coxas e abdominais. Ao som de músicas brasileiras, o 3B tem como promessa o combate da celulite. |Assim de repente não me lembro de nenhum melhor "cartão- de- visita"|. Apesar de nos levar ao limiar de dores em músculos que, no meu caso, nem sabia ter, é, ainda assim, super divertida e de acompanhamento fácil. Para além do tal combate às gorduras localizadas melhora o estado de espirito, a nossa coordenação e no final, e apesar da verdadeira "tareia" de meia-hora, transmite- nos uma enorme sensação de bem-estar.


*Escrito em colaboração com o Fitness Hut

fevereiro 27, 2017

PRINCÍPIO DA SEMANA #135

co·e·rên·ci·a- Recíproca aderência que têm entre si todas as partes de um corpo; Conformidade entre factos ou ideias; Nexo, conexão.

A coerência é algo que, em adultos, nos é exigido. "Tem" de existir uma consistência, um fio condutor, que nos guia que parece que tem que ter sempre a mesma direcção. Esta exigência, ao contrário do que possa estar implícito, não é algo que nos é imposto pelo exterior. Começa e termina num único lugar. Cá dentro. 

A coerência está assente sempre a mesma sequência: Pensamento- Acção. E, a um determinado pensamento esperamos uma determinada acção, coerente com esse mesmo pensamento. Acontece que, e como cada um de nós é espécime único, de um ao outro pode ir uma distância infinita, que, e muitas vezes, só é mesmo entendida por nós. Logo, somos facilmente catalogados de incoerentes, pelos outros e até por nós. A não coerência é sempre vista como algo de negativo, como um desvio, como algo de censurável.  

A incoerência faz parte de todas as coisas que não entendemos. Em nós e no exterior, E assim como os gostos que se diz que não se discutem, na prática não é bem, ou nada, assim. Facilmente, muito facilmente, apontamos o dedo, julgamos com base naquilo que para nós é ou não é coerente. Para conseguimos viver em nós e "aqui", a coerência, ou falta dela, é algo que precisamos de aceitar a toda a hora, porque e por exemplo, para mim é totalmente incoerente ver alguém, no dia de hoje, de calções e chinelos na rua, assim como é |no mínimo| incompreensível ver pessoas mascaradas com fatos de tecidos finíssimos apropriados ao Brasil |país onde e apenas, na minha opinião, deveria ser comemorada esta época festiva|, mas para essa|s| pessoa|s| é totalmente ao contrário e como não vivemos no isolamento somos forçados a lidar e a encaixar todo o tipo de comportamentos.

A coerência é complicada, porque nos exige uma constante vigilância contra nossa vontade de enfeitar, de esconder, de mascarar. E há 1001 justificativas para o fazer. Fingir ou tentar acreditar no que é mais fácil é mais cómodo que realizar algo mais trabalhoso. Mas e a longo prazo, a coerência interna, a aceitação é fundamental para o nosso crescimento como pessoas. Coerência não significa perfeição, domínio de tudo. Coerência significa olhar com tranquilidade para o que somos e sobretudo fazemos e procurar não mascarar, de nós mesmos, o que os nossos olhos vêem.

Podemos escolher viver de aparências ou viver coerentemente. Ambas têm ganhos e perdas e ambas têm consequências, muito profundas. A construção da segunda é bastante mais trabalhosa, silenciosa e menos glamorosa, mas é a que, sem dúvida, nos leva a resultados bem mais consistentes e a não viver em "modo montanha russa", |até porque não é por acaso que este tipo de experiência dura apenas minutos...|. E, nunca esquecer que, e fazendo novamente o paralelismo, a frase "É Carnaval ninguém leva a mal", pode não ser, de facto, nada assim, uma vez que nestas escolhas, nesta sequência pensamentos/acções, nesta construção, da nossa história, existe|m| "o|s| outro|s|". |Simples assim|. ➸


Imagem © Direitos reservados

fevereiro 24, 2017

fevereiro 23, 2017

'MARK' |BY AVON|

Lançada mundialmente, 'Mark' é a nova linha de produtos de maquilhagem Avon. Assente no conceito de arte em que a tela é uma ponte e expressão para a criatividade e autoexpressão, através da cor, forma e textura, a marca faz a ponte com o nosso rosto e relembra-nos que este é a nossa tela.

A Avon lança-nos o desafio de desenvolver o nosso poder artístico, inspirando-nos a criar e a deixar a nossa marca. Estive presente no lançamento, que aconteceu ontem, em Lisboa, e por isso tive a oportunidade de a conhecer e experimentar, bem de perto. 'Mark' é, sem dúvida, uma linha arrojada quer pelos produtos em si quer pela imagem irreverente dos mesmos.
Desenvolvida para inspirar, disponibiliza maquilhagem avançada, texturas inovadoras, tendências de cores e instrumentos de precisão que nos permitem expressar e celebrar a nossa individualidade, |conceito que tanto defendo|, através da maquilhagem.
Com produtos para os lábios, olhos, rosto e unhas, 'Mark', é o resultado de uma investigação intensa e da Avon, durante os últimos 2 anos. A máscara de pestanas 'spectralash', um dos principais produtos 'Mark', permite um controlo total das nossas pestanas, aumentando-as tanto volume como em espessura, em três diferentes níveis. Toda a linha oferece uma palete de possibilidades com tudo o que precisamos, desde uma base em mousse para tapar imperfeições com textura extra ligeira, a delineadores, lápis para olhos, batons, vernizes, sombras, correctores, um tão importante fixador de maquilhagem, entre outros, para nos tornarmos verdadeiras entusiastas de makeup.
Torne a maquilhagem numa arte. Faça a sua mark!

fevereiro 22, 2017

T2 TRAINSPOTTING |2017|

Já tinha ouvido falar deste regresso. O meu cérebro deu autênticos pulos de contente, quando soube. A minha memória viajou longe, até à cadeira e ao cinema, hoje inexistente, onde assisti ao primeiro. Pensei na miúda que era na altura, o quanto sinto que não mudei e no quanto o filme me marcou e inspirou.

Incontornável marco da década de 90. 20 anos depois temos o 2, em pleno século XXI. A fasquia é mais que alta mas, a julgar por estas imagens, suspeito que não irá desiludir.
Deste lado não vejo a hora de o ir comprovar!
Nos cinemas. Amanhã. E, para quem não se lembra:
|trainspotting- the activity of watching trains and writing down the numbers that each railway engine|.

Imagens © Direitos reservados

fevereiro 20, 2017

PRÉMIOS E! RED CARPET | 4ª EDIÇÃO|

Dia 16 foi noite de Prémios E! Red Carpet. Os prémios E! já são reconhecidos pela sua elegância, natural boa- disposição e onde, claro, não pode faltar uma elegante Passadeira Vermelha, que tive o privilégio de pisar.

O evento anual organizado pelo E! em Portugal recebeu, este ano, todas as celebridades convidadas no lindíssimo Teatro Thalia, em Lisboa, entre elas os nomeados para os prémios relativos a 2016. O Prémio Revelação, foi entregue ao actor José Mata, o Prémio Blogger E! foi entregue à querida Leonor Poeiras, o Prémio E! Carreira foi entregue a um dos actores portugueses mais importantes de todos os tempos- Ruy de Carvalho e por fim, os prémios Red Carpet Homem e Mulher foram a José Fidalgo e Sofia Ribeiro.
A 4ª Edição dos Prémios E! Red Carpet Portugal, tal como as edições anteriores, procurou celebrar a Cultura Pop, brindando todos os convidados com uma noite de muito charme e glamour.

Para quem desconhece o canal E! pode ser visto em:
Cabovisão: E!: Posição 96
MEO: E! HD: Canal 101 // E! Canal 102
NOS: E! Posição 56 // E! HD Posição 82
Vodafone: E! HD: Canal 142 // E! Canal 143

PRINCÍPIO DA SEMANA #134

fu·gir- |latim fugio, -ire|- Deixar um lugar depressa ou ocultamente; Retirar em debandada; Esconder-se; Desaparecer; Escapar; Evitar; Livrar-se; Correr rapidamente; Evitar; Esquivar-se a.

Em sonhos, diz-se que fugir ou sonhar que se está a fugir é algo associado a medo e até desespero. A fuga, claro está, existe no sonho e lá tentamos não lidar com algo desagradável. Uma discussão, uma sensação desagradável ​​ou experiências que não queremos ou temos medo de viver. Sentimentos de culpa e conflitos morais podem estar implícitos o que pode representar o evitar de uma responsabilidade ou obrigação. Apesar de o fazermos em sonhos não estaremos muitas e variadas vezes a fazer o mesmo no estado acordado? Não será esta necessidade de fuga uma natural consequência de comportamentos de repetição contínua de uma situação original? "Aquela".

fevereiro 17, 2017

SE A BABI MANDASSE #2

Ao contrário dos outros animais, se "Deus" nos deu o dom da fala, não entendo porque é que a usamos tão pouco, para o que é realmente importante. Comunicar. Expressar. Emoções. Pensamentos. Opiniões. Sentimentos. Em vez disso, presumimos. Sim, na maior parte das vezes é bem mais fácil e bem menos incómodo, para nós e para não incomodarmos os outros. A questão é o perigo de onde isso nos pode levar. Há muito tempo que observo que parece que temos de pedir "com licença" para nos expressarmos o que "nos vai na alma". E, até entendo o porquê, mas não me é, de todo, indiferente, entristece-me, incomoda-me. Portanto e se eu mandasse abolia o acto de presumir.

"Mãe de todas as asneiras", segundo um provérbio português, dos poucos actos que existem que, e ao ser alvo então, não suporto. Vejo a presunção como a maior das falhas de comunicação que existem entre duas pessoas e uma das mais terríveis armas do nosso pensamento. Presumir leva-nos a conclusões e a suposições que a maior parte das vezes não são reais, essas mesmas suposições levam-nos a outras atitudes e comportamentos baseados em algo falso, isto tudo pode, e em jeito de bola de neve, levar-nos a situações totalmente dispensáveis, se... Tivéssemos pura e simplesmente comunicado. Tão simples... Poucos são os seres que com um simples olhar dizem tudo, e sei bem do que falo, mas isso deve-se ao conhecimento que têm um do outro, a sentimentos muito profundos que os ligam que, e em última análise, se deve a uma fortíssima comunicação interna. 

Presumir, ou fazer presunções, sobre algo que é totalmente novo e que nunca vivemos, castra-nos. Tira-nos "a" hipótese "de". Sendo o oposto à realidade, em si, ou ao que ela pode vir a ser, como presumimos que sabemos como é ou como será nem chegamos a vivê-lo. Perigoso. Muito perigoso, na medida em que nos podemos perder e perder o nosso real caminho. Por isso nunca esquecer que não é possível começar a aprender e viver aquilo que se presume saber...

Eu não presumirei 
Tu não presumirás 

fevereiro 16, 2017

WOMEN'SECRET SPRING 17

Elegante, confortável e sexy. Tudo o que se pretende dessa tão importante e diária componente do nosso vestuário, a lingerie. A Women'secret especialista e uma das minhas marcas de eleição, nesta matéria, apresenta-nos propostas que misturam transparências, rendas e claro os tão importantes detalhes. Tons pastel combinados com um forte framboesa, para looks mais doces, conforto e |muito| estilo, para o chamado homewear.
Continuando as actuais tendências, e como cada vez mais a lingerie é para sair de casa e ser vista, esta é a minha peça de eleição: A Bralette. Super elegante e versátil, algo que, a ser usado, certamente não passará despercebido!

fevereiro 15, 2017

JACKIE

Ícone incontornável de estilo. Símbolo puro do que é elegância, no seu estado mais clássico. Jacqueline Kennedy Onassis a eterna primeira-dama americana. A sua simplicidade, brilho e carisma sempre me fascinaram e por isso, para mim, 'Jackie', como ficou conhecida e nome também do mais filme, que estreou a semana passada, sobre a mesma, é o exemplo que descreve, na perfeição, um conceito que tanto pratico e defendo- O "Less is More". 
A começar pelos tons pastel, passando pelo corte exímio e geométrico das peças, o uso de mini-saias e do de uma das mais elegantes peças do guarda-roupa básico, o trench coat, não há nada que, na sua imagem de marca, não continue actual.  
São várias as "assinaturas" e segredos de sucesso, da sua imagem. Destaco o pillbox, um modelo de chapéu que assenta da parte de trás da cabeça, deixando o rosto descoberto, que continua a ser usado por várias "primeiras damas" e realeza, mundo fora, os lenços na cabeça, um dos acessórios que, sem dúvida, a popularizou, o colar, com três voltas, de pérolas, que Jackie usava frequentemente em eventos públicos, provando que, de facto, estas podem e são um dos melhores amigos de uma mulher e por fim talvez a minha imagem de marca preferida, os enormes óculos de sol com armação em massa. Um, entre tantos, exemplos perfeitos, do que é, na minha opinião, a simbiose perfeita quando o assunto é estilo próprio. O clássico e o arrojado, ao mesmo tempo.

Imagens © Direitos reservados

fevereiro 13, 2017

PRINCÍPIO DA SEMANA #133

e·na·mo·ra·do|a|- |particípio de enamorar|. Que ou quem se enamorou. = Apaixonado|a|.

Definição curta e concisa e que tem relacionadas palavras como enamorar, apaixonar, suspirar. Não é uma palavra muito usada quando o assunto é o estar apaixonado|a| e daí me enamorar tanto por ela. Apesar da constar na definição, o ser = a estar apaixonado, o enamorado|a|, o estar enamorado|a|, de certa forma, parece|-me| algo mais que uma paixão. Existe algo de mágico associado a esta palavra e sentimentos como encantando|a| ou até enfeitiçado|a| surgem-me na mente e sobretudo ao coração, que é o lugar onde tudo isto acontece.

Apesar de uma sonoridade bastante parecida este "e" antes do namorado|a|, faz toda a diferença, uma vez que estar enamorado|a| é algo de diferente e até vou dizer superior ao namorar, pois um não implica necessariamente o outro. Namorar é manter uma relação de namoro com alguém, é ser namorado|a|. Estar enamorado, é um estado. Nosso. Vivido internamente, logo, pode ser, ou não, correspondido. O enamoramento diz que a pessoa foi atraída, seduzida, por algo ou alguém, de modo irresistível. Um arrebatamento que surge de uma de uma palavra, de um cheiro, de um momento, de um olhar. Do "nada" portanto, e naturalmente, sem qualquer tipo de plano, ou aviso prévio. Simplesmente acontece. Em qualquer hora. Em qualquer lugar.

fevereiro 10, 2017

SE A BABI MANDASSE #1

Uma das frases que digo há anos e que num "aha moment", numa conversa, decidi desenvolver em escrita. Uma brincadeira que foi confirmada, recentemente, por este e-mail, de uma Cliente/Amiga, que foi o sinal que precisava para avançar com esta nova rubrica. Mais que roupa e afins por aqui falarei, desde o mais light ao mais "sério", de tudo o que eu mudaria se mandasse. E são tantas, as coisas...

Hoje e numa primeira vez, vou escrever sobre um dos meus ódios de estimação. Um que "cultivo" desde a década de 90. Um tecido. O linho. Mais precisamente as calças de linho brancas ou assim "a cair" para o bege. Só a palavra li.nho, já me arrepia. Lembro-me que o mesmo foi desenvolvido ainda eu era adolescente na altura, em que vesti umas pela primeira |e última| vez. Sendo eu pessoa muito sensível ao toque, a nossa relação tinha tudo para não funcionar a partir do momento que lhes peguei. Áspero. Super desagradável. Mas e ainda assim, decidi experimentá-las, afinal "toda a gente usava". Assim que vi a minha imagem reflectida no espelho pela primeira e talvez, até hoje, única vez, senti-me um autêntico saquinho de batatas, mas em branco. |Normalmente os sacos de batatas são mais para os castanhos|. Largas, sem qualquer tipo de forma e assim que me virei, a confirmação... São totalmente transparentes! A acrescentar que o linho tem ainda e como "cerejinha no topo do bolo", a particularidade de ser aquele tecido que passamos horaaaaas a passar a ferro e que basta estarmos 10 minutos, sentados, |no caso das calças|, para parecer que nunca viram um ferro na vida!

Portanto e recapitulando- Áspero, não maleável, visualmente feio, porque gostos à parte, na minha opinião, é. Por isso e assim de repente, não vejo uma única razão que me faça perceber como é que em pleno século XXI, as continuo a encontrar "por aí", quer mulheres que usam, quer em lojas, à venda. Mais modernas, outros cortes, menos espessura, sim, mas o material é o mesmo. |Que me desculpem os fabricantes de linho em Portugal, não é mesmo nada contra vocês...|. Quem já se cruzou comigo, quer em formações quer em Consultoria de Imagem, em nove anos de closet cleaning's, sabe que já "despachei" várias peças assim, para o devido RIP, e que as descrevo como algo que nem na praia deveria ser usado. 

Bem sei que ainda falta muito para o Verão, mas e como o tempo não passa depressa mas voa, lanço o apelo, pessoas do sexo feminino e masculino também, façam-vos um favor e à vossa imagem, não entrem em tentação, caso se deparem com um qualquer exemplar numa loja de fast fashion |porque as haverá, tenho a certeza...|.

fevereiro 09, 2017

OS |VERDADEIROS| ACHADOS NOS SALDOS

Homem ou Mulher, o momento em que encontramos uma etiqueta assim dá-nos uma espécie de alegria que é vivida muito internamente. É, nas alturas de final de saldos que as conseguimos "facilmente" encontrar. Pessoalmente e como não preciso propriamente de nada, é quando espreito os saldos, porque sei que vou sempre encontrar "aquela" peça. Que estava "ali" à minha espera. Acontece todas as épocas.

fevereiro 07, 2017

'GO HEALTHY' @CORINTHIA HOTEL

Sem dúvida que "Comer Bem é Viver Bem" e seguindo este mote o Corinthia Hotel Lisbon desenvolveu um programa de alimentação saudável e sustentável, cuja aposta passa pela criação de menus de acordo com a sazonalidade e sustentabilidade, dando prioridade a produtos locais e provenientes de horta orgânica.
O lançamento deste programa, onde estive presente, iniciou uma série de seis almoços e para o qual o Corinthia convidou a coach de nutrição integrada Camila Balbi, co-autora do livro de receitas “Chegar Novo a Velho”, e Valentina Crocco, especialista em cozinha saudável que, em conjunto com o Chef do hotel, prepararam um almoço buffet baseado nas suas receitas que englobam diferentes opções dentro da temática da alimentação saudável.

Estes almoços são abertos ao público e acontecem uma vez por mês no restaurante 'Sete Colinas. Cada mês será dedicado a um tema diferente, desde os super alimentos à dieta do paleolítico. Em todos os almoços haverá empresas convidadas a participar e serão feitos workshops por forma a inspirar-nos para diferentes estilos de vida e para novas formas de pensar e preparar os alimentos.
Os almoços acontecem de Fevereiro a Junho, das 13h00 às 15h00, respeitando a seguinte agenda:

17 de Fevereiro: Super alimentos

17 de Março: Dieta do paleolítico

28 de Abril: Sem açúcar com amor

19 de Maio: Alimentos alcalinos

09 de Junho: Corpo fit-proteínas

|Na página de Facebook do Corinthia podem consultar informações detalhadas, de cada evento|.

fevereiro 06, 2017

PRINCÍPIO DA SEMANA #132

hu·mor- Disposição de ânimo; Temperamento; Índole; Mordacidade chistosa; Ironia delicada.

Na fisiologia, equivale à substância orgânica líquida ou semi líquida. Na anatomia, fala-se do humor aquoso, por exemplo, produzido no olho. Na linguagem corrente, usamos o termo para indicar uma disposição de espírito. Estudado e discutido por estetas, filósofos e críticos literários e alvo de muitas teorias, por vezes até contraditórias, é difícil definir o que é e o que não é o humor e o que, o distingue do cómico, da ironia ou da sátira.

Para mim, o humor é, acima de tudo, sinal de inteligência emocional. Das coisas que mais me apaixona e prende a alguém. Um dos meus vícios e mais ou menos negro algo que defino muito simplesmente como, "aquilo que me |nos| salva". Isto porque não existe nada, ou quase nada, que não possa ser visto com sentido de humor. Depende sempre do grau que temos, ou não, em nós.

fevereiro 03, 2017

O BÁSICO DO GUARDA-ROUPA

Como em tudo, na vida, tem de existir uma base. Um suporte. O nosso guarda- roupa não é excepção e, diz-me a minha experiência, em consultoria de imagem, que é exactamente por muitas vezes não existir, esta base, que nada funciona.

Como o próprio nome indica o guarda-roupa básico, é o conjunto de peças e acessórios básicos. É importante referir que este “básico” em nada nos faz perder a nossa identidade e estilo próprio. Há milhares de opções mesmo dentro dos chamados básicos. Assim como nos tamanhos, apenas temos de saber procurar e escolher aquele que mais se adequa a nós. Por serem o tal “tronco da árvore”, logo intemporais, o ditado " não me posso dar ao luxo de comprar barato” encaixa na perfeição e, ao contrário do restante guarda-roupa, é importante que sejam de óptima qualidade, para durarem o máximo de tempo possível.

Inserido no Ciclo de Workshops de Consultoria de Imagem, a decorrer em Lisboa e no Porto, no Montepio, |Espaço M|, o guarda-roupa básico é um dos temas que será abordado amanhã |no Porto| e no próximo dia 25 em Lisboa. Mais informações: hello@babipereira.com

Imagem © Direitos reservados

fevereiro 02, 2017

SE TU GOSTAS... |EU QUERO É QUE SEJAS FELIZ| #30

Hoje vamos falar de amizade. Tema fraco para o Magneto, eu sei, mas esta será a última crónica que escrevo. Aceito que chorem, que peçam que volte, que vão de joelhos colocar uma velinha em Fátima (tudo coisas que a Babi tentou…), mas acredito que tudo tem um início, meio e fim. Sim, a nostalgia apoderou-se do meu alter-ego; “revisitei” este percurso de 30 crónicas e conclui que todas se deveram a uma amizade com a nossa caríssima Babi. Uma amiga a quem chamo carinhosamente de unicórnio porque tem uma visão demasiado cor-de-rosa da vida – foi talvez por isso que ela caiu no erro de me convidar para fazer estas crónicas. Ou isso ou as sangrias de final de dia na praia. Na verdade, a coisa aconteceu e posso-vos dizer que me ri perdidamente em cada uma delas. Obrigado Babi.

Consideram estranho fazer um passeio com desconhecidos e uma das convivas, passado 2 minutos virar-se para mim e dizer, “tu é o Diogo, não és??” Confesso que o meu ego ficou nos píncaros – mas de onde é que esta tipa me conhece?? “Bem me pareceu que no sábado não devia ter bebido aquela última vodka – realmente não me lembro de ter chegado a casa…”, pensei eu. Juro que é verdade. E depois ela explicou-me – “andámos na escola juntos, no ensino secundário – reconheci-te pela voz”. Ou seja, há 25 anos, mais coisa menos coisa… eu, educadamente, respondi: “Ai sim?? E como te chamas?” Ao que obtive uma resposta esclarecedora “Eu sou a Babi”. WTF? Mas quem é que se chama Babi?? Já algum de vós teve uma colega no secundário chamada Babi? Pensei “isto só pode ser para o Apanhados…”

Mas lá continuámos, beira-rio, na nossa caminhada entre estranhos. Eu pensei no nome Babi, olhei para ela e fui directo e pragmático, aliás, como sempre: “Desculpa, mas não me lembro de ti…” ao mesmo tempo que pensava na estranha abordagem de engate desta personagem… A caminhada continuou, connosco a pensar em que ano teríamos sido colegas. Concluímos que tinha sido no nosso 8º. Ano – e nesse momento a Babi, que me reconheceu pela voz, disse: “não falaste comigo o ano inteiro”. Conclusão: se existem pessoas "com ouvidos de tísica" no mundo, a Babi é uma delas.

Foi neste momento que percebi o cretino que fui. Um ano inteiro sem falar com uma colega? Demasiado pedante, até para mim. Decidi, no inconsciente, dar uma oportunidade a mim mesmo de remediar o que não fiz bem. E acreditem que foi o uma bela decisão – passei a conhecer alguém cujo mundo cor-de-rosa é contagiante, com uma energia desconcertante e uma dose de teimosia própria de alguém muito criativo. Dêem-lhe ovos mexidos, batatas fritas e muita conversa irónica e vê-la-ão a rir desprendidamente numa noite interminável. Além disso, se querem comprar roupa nunca vi ninguém com tal capacidade de entrar numa loja e ir imediatamente ao que se pretende. Esta é a Babi. Se vale a pena conhecer? Sim, mas tenham sentido de humor por favor. Mulheres malucas q.b. já são raras de encontrar e devemos preservá-las… tipo espécie em vias de extinção. Viva a Babi!

fevereiro 01, 2017

PEQUENAS |GRANDES| RESOLUÇÕES

Há 6 anos atrás podia ter começado a treinar no primeiro Fitness Hut. Verdade. Mas, o que já foi, já foi. E agora é pensar como quero estar daqui a 6 meses, ou até menos. E, claro, começar a treinar para isso. Este é um desejo que, acredito, seja comum à maior parte de nós. 

O Fitness Hut, tem actualmente 22 ginásios abertos em Portugal, mais cinco em fase de construção e prevê crescer no ano 2017, com mais sete clubes novos. O início do ano é um mês de resoluções, portanto o desejo de ficar “fit” triplica… Curiosamente e sem grandes surpresas o ciclo sazonal é sempre igual, o compromisso e a motivação para atingir os objectivos certos, no que diz respeito à saúde e exercício físico, falam sempre mais alto depois do natal e das férias de verão.

Para contrariar a desmotivação o Fitness Hut aconselha: 

- Fazer aulas em grupo.

- Marcar uma sessão com um Personal Trainer e traçar objectivos. 

- Treinar com um amigo.

- Pedir a ajuda da família, amigos, namorada|o|, para nos apoiar.

- Marcar uma consulta de nutrição e ter atenção à alimentação.

- Criar objetivos pequenos no seguimento do objectivo principal.

Não existe uma fórmula mágica para o sucesso, mas o Fitness Hut ajuda-nos a caminhar nesse sentido. Caminhemos com eles!

*Escrito em colaboração com o Fitness Hut
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Babi a Única © 2009-2014. All Rights Reserved | Powered by Blogger

Blog Design por The Zero Element