PRINCÍPIO DA SEMANA #160

re·en·con·trar- Tornar a encontrar; Encontrar-se novamente com. 

Não sabemos o que nos vai reencontrar. Será algo ou alguém que, já conhecemos ou julgamos conhecer, mas que nos dá, sempre, algo de novo. Experiências, conhecimentos, emoções, sentimentos. Programados ou não, trazem, com eles, o inesperado, que tem o poder de alterar o que julgávamos saber ou sentir.

A nossa existência que, cada vez, nos parece mais rápida, “pede-nos” que tentemos compreender, encaixar, este inesperado, no imediato. O racional impele-nos a tentar controlá-lo. Algo que é, na sua mais pura forma, incontrolável. Este novo, e tudo o que nos é dado nos reencontros, mesmo conhecendo bem, seja a pessoa, ou a situação.

Os reencontros são necessários. Dão-nos possibilidades. De estar e fazer diferente. Para ser ou acontecer. Têm com eles algo de muito bom que é o nos surpreenderem e com isso relembrarem-nos que não somos detentores de verdades absolutas e imutáveis.

Os reencontros fazem parte e muitas vezes, da nossa agenda diária. São planeados, combinados, rotineiros até. Esses, por norma, não nos ocupam muito a mente, na medida em que, sendo programados, pensamos que, de certa forma, todos os acontecimentos que daí virão serão “normais” e expectáveis. E, na verdade, na maior parte das vezes é que funcionam. Mas, existem os outros. Aqueles que, mesmo até tendo sido programados, têm o poder de mudar, com uma frase, num segundo, muitas coisas, e que nos podem fazer passar dias ou meses a tentar entendê-los e não chegar mos a uma só resposta. Porque não existe. Existem várias. E, na verdade, não é essa resposta que é necessária encontrar, e sim |apenas| perceber o significado, deste novo, para o |nosso| presente.

Os reencontros fazem-nos viver momentos que sabemos que não vamos esquecer. Momentos em que, assim de repente, descobrimos, por exemplo, que existe “alguém” que nos vê de uma forma ainda maior do que tínhamos noção e/ou que até “velas foram acesas a pensar em nós”. Exemplos, de “superpoderes”, do que é re·en·con·trar.

"Ambos tinham saudades daqueles abraços apertados que só eles sabiam trocar".
↣ Simples. Puros. Perfeitos. ↢



Imagem © Direitos reservados

CONVERSATION

0 comentários:

Enviar um comentário

Back
to top