PRINCÍPIO DA SEMANA #158

vol·tar - Regressar; Tornar a vir; Reaparecer; Tornar; Replicar; Dar volta ou voltas; Tornar a fazer; Mudar de rumo.

Tornar a. Regressar. Desde a semana passada que dava por mim, várias vezes, a pensar neste dia. Segunda- Feira, dia 21. Dia de eclipse solar e dia, também ele, oficial de regresso ao trabalho, à escrita e, claro, ao P-D-S. Apesar de ter, em mim, uma óptima capacidade de síntese e de expressão, por palavras, pensei várias vezes com algum |confesso| nervoso, daqueles miudinhos, como iria ser este voltar, depois deste |inédito| período de ausência. Não sabia, nem sei, ainda muito bem, como o fazer, mas digo que encaro sempre os regressos como algo de muito positivo e este não é, de todo, excepção. Mais que positivo, este é um voltar, pessoalmente, bastante diferente, já que e usando a metáfora, sinto que fui de viagem com pequeno trolley e voltei com todo um porão, cheio de malas.

Um regresso acarreta sempre um novo recomeço, uma nova página, mesmo sendo a mesma história, a nossa. Tão importante como a decisão de ir é o voltar, o saber voltar, com tudo aquilo, maior ou menor, que temos de novo. Na nossa vida, e principalmente em nós. Não é, decididamente, fácil quando, aparentemente, nada de muito visível mudou mas tudo nos parece tão, mas tão diferente. As ausências, sobretudo as provocadas pelas férias, permitem-nos experienciar todo um novo mundo de coisas, sentimentos, sensações que nem julgávamos existirem. Permitem-nos também ter muitas aprendizagens e uma delas é, sem dúvida, o saber parar. Uma das maiores que, actualmente, podemos desenvolver. Pessoalmente e nestas últimas semanas, entre muitas outras, esta foi uma das que adquiri. Embora algo forçada, a verdade é que a par de muitos outros desafios, que incluíram lidar com o meu medo de alturas, estar incontactável, etc. o não fazer NADA |que é fazer tanto…| foi seguramente dos maiores…

Conheci, também, todo um mundo novo. Descobri, que, afinal, ainda é possível viver muito mais no simples e sem todo um conjunto de coisas materiais, que julgamos imprescindíveis por fazerem parte do nosso dia-a-dia, como o telefone, computador, cremes, etc. e estar bem com isso. Simplesmente estar onde, seja onde for, e com quem realmente é importante.  

O estar. O vivenciar. O adaptar. O aceitar. O encaixar. O aprender. O viver. Tudo. Tudo o que temos, aparentemente, de novo mas que ao mesmo tempo nos parece tão nosso. 

Simples. Puro. Perfeito.

Imagem © Direitos reservados

CONVERSATION

0 comentários:

Enviar um comentário

Back
to top