PRINCÍPIO DA SEMANA #85

tre·ze|ê|- Doze mais um; O número treze; O décimo terceiro dia do mês.

Treze e não Tre(u)ze como se ouve muito dizer. Número que desde a Antiguidade Clássica, é o considerado o número do azar, o portador de coisas más. Numerologistas consideram o 13 como o número que actua em desarmonia sobre as leis do universo e tem o nome de triscaidecafobia a fobia a este número. História e misticismos (que respeito) à parte, para mim sempre foi um número importante. Acontecimentos daqueles que não esquecemos já aconteceram em dias 13. É um número diferente, forte e talvez por isso me faça nutrir um sentimento especial por ele. Gosto sobretudo de sexta(s)-feira(s) treze. Nada contra, pelo contrário.

E foi precisamente há treze anos atrás que a minha vida mudou e para sempre. Há treze anos estava muito longe de saber o que é existir alguém que dependa de mim, do meu cuidado e da minha atenção. Estava longe de imaginar o que é acordar de manhã e ter como prioridade, número um, as suas necessidades. Algo que inacreditavelmente aceitei no meu dia-a-dia como se sempre tivesse sido assim. E este é para mim o primeiro dos sinais do que é o Amor incondicional. A naturalidade com que acontece e como começa a fazer parte da nossa vida e dia-a-dia, como se não existisse um "antes".

Já não me lembro do que era a minha vida antes dele e sem ela. A minha filha de quatro patas, como sempre digo que tenho. A minha extensão. Somos inseparáveis e juntas já vivemos muitas experiências e momentos muito felizes, só as duas, e com quem, também, faz parte de nós e do nosso coração. Brownie. O ser que me ensina, todos os dias, a ser uma pessoa melhor. O ser que encontrei, ou me encontrou a mim. Que chegou e entrou na minha vida sem pedir licença. O ser que me fez descobrir uma das minhas actuais grandes paixões. O ser que me ajudou a descobrir a minha essência, a minha alma e aquilo que sou capaz fazer, ser e sentir e que me faz todos os dias pensar na simplicidade das coisas, na simplicidade da vida e no que é verdadeiramente importante. E o que é verdadeiramente importante é o que sentimos e vivê-lo. Demonstrá-lo e sem medo. É isso que podemos aprender com seres puros que existem na nossa vida. Sentir, dar, lutar, estar presente. Amar. Simplesmente Amar.

"O verdadeiro Amor é demasiado precioso e difícil de encontrar para não lhe dar a devida atenção". |Knight of Cups|

CONVERSATION

0 comentários:

Enviar um comentário

Back
to top