PRINCÍPIO DA SEMANA #77

e·ner·gi·a- (grego enérgeia, -as); Capacidade que um corpo ou um sistema físico tem de produzir trabalho; Fonte energética, como electricidade, calor ou luz, que permite o funcionamento de algo; Maneira vigorosa de agir, de dizer ou de querer; força anímica; Vitalidade física; Vigor.

Do que não se vê, mas tanto se sente. À semelhança de muitas outras coisas e sentimentos, a energia não se vê, simplesmente sabemos que existe porque a sentimos. Como o amor, essa fonte inesgotável a energia, pode-se dizer é tudo aquilo que nos liga uns aos outros. O que nos faz querer estar perto ou longe de alguém. O não conseguirmos explicar o porquê de nos sentirmos tão bem, tão seguros, protegidos, alegres, vivos, em paz, ao pé de uma pessoa e pelo contrário tão mal, tão oprimidos ao pé de outras.

É um tema que já "estudo" há muitos anos porque desde muito cedo que me comecei a aperceber que sentia muito os outros na sua verdadeira essência, que esta me era transparente e praticamente sem ter de fazer perguntas, e não conseguia explicar o porquê que "sabia". Agora entendo. É mesmo tudo uma questão de energia e de sentir o que nos é transmitido. Acredito que existam verdadeiras fontes de energia positiva em pessoas adultas mas sobretudo em crianças e animais. Tenho um exemplo disso em casa e sei que assim é. O simples facto de estar ao pé da Brownie ou de crianças é como se o meu "depósito" energético se enchesse novamente. Pessoas ou seres que pela sua bondade, ou quase incapacidade de terem sentimentos negativos dentro delas, nos fazem sentir bem. Em adultos e tendo essa consciência de que temos essas pessoas, ou seres à nossa volta, são aquelas que nunca devemos perder. São fontes saudáveis de tudo o que há de bom para nós. E todos precisamos delas, porque todos precisamos de "reabastecer" de vez em quando. Pessoas que apesar de todas as mágoas, problemas, defeitos (ou coisas menos boas, como prefiro sempre dizer), porque os têm, como qualquer comum mortal, mantém o coração puro com que nasceram. Seres (muito) abençoados e muito incompreendidos também. Falo de pessoas que não desenvolveram ao longo do seu crescimento, o que é suposto e infelizmente, digo eu, considerado "normal"- A malícia, a maldade com que pensam, o confiar mas sempre com o "pé atrás". Pessoas assim, puras, são de extrema importância não só para a nossa vida, mas sim para o universo. Pessoas que, sem dúvida, fazem com que o mundo seja um lugar melhor.

A energia está em tudo o que nos liga e tudo o que fazemos. Precisamos dela sempre para fazer o que seja na nossa vida. Ter esta consciência de que precisamos tanto de boa energia como do ar que respiramos é uma certeza muito importante que devemos acima de tudo sentir e não pensar. Às vezes o simples facto de passarmos vezes sem conta por uma determinada situação, tem a ver exactamente com esta questão energética, o que projectamos, atraímos. É uma verdade. O facto de não conseguirmos entender o porquê de sentirmos determinada ligação fortíssima com alguém, faz-nos dar voltas e mais voltas à cabeça, mas porquê, pensamos vezes sem conta. Porquê? Pensamos assim porque queremos sempre perceber porque isso dá-nos o controlo ilusório de que controlamos tudo. E, claramente, a energia, e este tipo de energia que falo, está bem acima da nossa capacidade de compreensão, exactamente por não ser esse o ponto importante. O que aprendi e pela minha experiência, é que o porquê é o menos importante. O importante é conseguirmos perceber isso e usar a nossa inteligência, de que somos dotados, para fazer disso a melhor coisa do mundo. Porque de facto é.

Não há melhor forma de ilustrar o que verdadeiramente penso sobre o assunto do que a célebre frase e que tanto subscrevo: "O essencial é invisível aos olhos".

Imagem © Direitos reservados

CONVERSATION

0 comentários:

Enviar um comentário

Back
to top