setembro 30, 2015

A MINHA EXPERIÊNCIA COM A BODYCONCEPT

Actualmente a BodyConcept é a maior rede nacional de clínicas de smart-cost de estética do país. Frequento uma delas já há alguns meses e daí partilhar a minha experiência. Decidi começar a fazer tratamentos na BodyConcept pois como, a maior parte das mulheres, tenho problemas de celulite, (alguma) má circulação e afins e isso levou-me a conhecer as Massagem Modelante, Anticelulitica e Reafirmante da marca, que após uma avaliação morfológica personalizada, me foi aconselhada. Adequada para o tratamento de várias problemáticas corporais, favorece a libertação de toxinas tendo como objectivo tornar a pele mais fina e elástica. As técnicas utilizadas, nesta massagem específica, proporcionam a estimulação da regeneração celular (colagénio e elastina) o que favorece a nutrição dos tecidos e ajuda a remover os resíduos metabólicos acumulados nos músculos, assim como a libertação de aderências depositadas nos diferentes planos tecidulares da gordura, nas células. 

Faço-a desde há cerca de dois meses, duas vezes por semana e mesmo sem fazer qualquer tipo de desporto regularmente e dos escassos cuidados com a alimentação (inclusive não beber a água que deveria) noto já uma grande mudança na firmeza das minhas pernas. De assinalar que, para mim, a grande diferença deste tipo de massagens para qualquer outro tipo de tratamento que já tenha feito é que esta é muito mais do que apenas anticelulítica, o que foi uma enorme e excelente surpresa, para mim. Fã assumidíssima de tudo o que sejam massagens, este tipo de tratamento da BodyConcept vai da cabeça aos pés, passando inclusivamente pelas mãos! Ou seja é uma massagem relaxante, que também é anticelulítica, modelante e reafirmadora. A luz diminui e o que temos de fazer é (apenas) relaxar durante 45 minutos que sabem pela vida. Já não vivo sem elas e já se tornaram os meus momentos da semana, ou seja, aqueles em que desligo o som do telefone e estou totalmente "out" para o mundo. 

Outro dos tratamentos que realizo na BodyConcept é a radiofrequência facial que consiste numa técnica baseada na utilização de ondas eletromagnéticas de alta frequência e que produz potencia a vasodilatação e melhoria a circulação sanguínea. Para além do rosto este tratamento é também indicado para as várias outras zonas do corpo e potencia também excelentes resultados no tratamento da flacidez, celulite, edemas e gordura localizada.
Com a chegada do Outono esta é a altura certa para começar a preparar o Inverno, que não tarda. Sendo que esta é sempre uma excelente ocasião para iniciar tratamentos estéticos e a pensar nisso, a BodyConcept lançou este mês uma nova campanha, em que nos tratamentos de rosto estão disponíveis as hipóteses de rejuvenescimento, tratamento anti-manchas, anti-rugas e reafirmantes, por apenas 23,50€/sessão. E para que o corpo esteja em total harmonia, os tratamentos anticelulíticos, de emagrecimento e reafirmantes estão disponíveis por 16€/sessão. E não é tudo! Ao se registarem em www.bodyconcept.pt recebem uma avaliação morfológica e uma massagem, totalmente gratuitas!

*Escrito em colaboração com a BodyConcept

Outono no Ikea

Imagens da nova colecção da marca- SINNERLIG. São mais de 30 peças para a casa, aliadas de três grandes verbos presentes no nosso dia-a-dia: trabalhar, comer e descontrair.


Imagens © Direitos reservados

setembro 29, 2015

Wedding Mode

 
Como disse a semana passada, este fim-de-semana foi de Casamento. Pegando na conclusão a que cheguei aqui, o ter em casa aquilo que precisava, optei pelo "tradicional" keep it simple.

setembro 28, 2015

Princípio da Semana #61

par·ti·lhar - Fazer partilha de; Dividir em muitas partes; Repartir com alguém; Compartilhar; Ter participação em; Distribuir.

Dos verbos e acções mais bonitas que fazemos. Partilhamos a toda hora, a todo o instante, mesmo sem dar por isso. Partilhamos os nossos gostos, os nossos sentimentos, os nossos afectos, a nossa vida. Partilho todos os dias quando escrevo, partilho todos os dias quando falo, partilho todos os dias quando oiço.

Este fim-de-semana estive num casamento, de uma das minha pessoas, e dei por mim a pensar que o casamento é em si o exercício máximo do que é a verdadeira partilha. Dispomo-nos a partilhar tudo com alguém para o resto da vida. E por isso afirmo que a partilha é em si muito superior ao acto de casamento entre duas pessoas. A partilha é um compromisso assumido interiormente e não há nada que seja superior a isso. A partilha supera egoísmos, egos, vontades, a partilha pressupõe o nós, o outro.

Li algures que não há nada mais inteligente no ser humano que o exercício da partilha e penso que é isso mesmo. A partilha é uma aprendizagem que vamos fazendo ao longo da vida. Aprendemos a partilhar logo na infância e sobretudo se temos irmãos, de sangue ou não. A imagem da partilha é-nos transmitida e ensinada pelos nossos pais, quando nos dão o mesmo que dão à outra parte. Discordo e estava a ter esta conversa com "alguém", que como eu também é filho único, que estes são egoístas e que não aprendem a dividir. No meu caso, foi bem pelo contrário, sempre aprendi a partilhar e sempre aprendi que dividir vai muito para além de contas e por isso hoje acredito que dividir o que temos com alguém é dos gestos mais grandiosos que podemos ter. 

Partilhamos muito mais facilmente as coisas boas que temos, as alegrias as tais novidades boas que as más. Tememos a opinião dos outros, os julgamentos que farão ao partilhar os nossos medos, as angústias, as dúvidas, as indecisões. Mas também estes, os sentimentos que não queremos ter e sentir, em nós, têm de ser partilhados, exactamente para que não se tornem maiores do que já são, maiores que nós até. Acontece, muitas vezes, e pela negativa pensarmos que somos os únicos a pensar ou a sentir determinadas coisas e sentimentos até os partilharmos com alguém. E, quando o fazemos, nesses fragmentos de tempo em que percebemos que afinal não estamos sozinhos, que se dá a partilha, esses são momentos, diria, de pura redenção. Outro dos frutos que podemos colher ao partilhar.

Sou sempre e para sempre adepta da comunicação e do diálogo que deve sempre existir e voltando ao tema casamento acredito mesmo que este seja o oxigénio para um casamento de facto ser "como deve ser" ou seja, para sempre.

"Happiness is only real when shared".

Imagem © Direitos reservados

setembro 25, 2015

"Abraços Felizes"

Todos os abraços são felizes pois são manifestações do Amor e afecto que sentimos. Mas, sem dúvida que, há abraços (ainda) mais especiais que outros. No próximo dia 4 de Outubro celebra-se o Dia Mundial do Animal, (mais um que na minha opinião de deveria ser todos os dias). A pensar nisso a Purina Portugal lançou uma campanha em que todos os felizardos que tenham animais podem participar e ajudar os que mais precisam. A ideia é super gira- basta partilhar uma foto nossa com o nosso mais- que- tudo de 4 patas. Por cada foto partilhada, aqui, a Purina doará uma refeição à Liga Portuguesa dos Direitos do Animal ou à Animalife – A criar histórias felizes.

Partilho não uma, mas sim cinco de muitas que tenho abraçada à menina dos meus olhos.

Imagens © Little Dreams

setembro 24, 2015

Yoga Bags Caravana Bazaar

Apercebi-me recentemente que existe uma grande lacuna a nível de sacos para a prática do Yoga. Os que vos falo, hoje, da Caravana Bazaar têm tanto de giros como de práticos. São uma edição limitada, como todas as peças feitas pela Filipa (a pessoa que gere esta que é bem mais do que uma simples Caravana) são feitos artesanalmente em pele, lã ou tecido. Para além do yoga, podem muito bem também ser utilizados para levar para a praia ou simplesmente para passear.
Convido-vos a conhecerem outros produtos da Caravana Bazaar, assim como o local, Herdade do Freixo- Alentejo, que parece retirado de um autêntico conto de fadas.

Imagens © Direitos reservados

setembro 23, 2015

Sobre ir às compras sob pressão

Não, não vou dissertar sobre o que se deve ou não usar num casamento. Apenas peguei nesta pergunta para falar sobre esta é uma das maiores interrogações que temos quando sabemos que temos de ir a um. O que usar, que cores e onde ir à procura. Tudo, na maior parte das vezes, dores de cabeça, garantidas!

Ontem apercebi-me de que estou a poucos dias de ter um casamento e como tal, estas mesmas perguntas começaram a apoderar-se de mim. Decidi-me por um vestido e pensei nos que tenho. Ao contrário do que normalmente penso, e como acho que seja habitual, entre vocês desse lado, cheguei à conclusão de que o melhor era procurar lá fora o que penso não ter no meu roupeiro. Assim saí de casa com a firme certeza de que algo que gostasse e que visse que era aquela peça, viria "ter comigo", como sempre acontece. A questão é que quando temos "a obrigação de" tudo muda. Por isso o que normalmente seria uma simples ida às compras cedo se transformou em horas de irritação. E é porque ainda não é bem isto, é giro mas falta aqui qualquer coisa, não é a cor, o comprimento, o tecidoo corte certos.... E se comprasse apenas uns sapatos e levasse com aquele vestido que tenho lá em casa? E que clutch levar aqui? E acessórios??? Tantas interrogações para tão pouco tempo e paciência (que cedo se começa a esgotar). A pressão muda (mesmo) tudo.

A parte engraçada e que me fez rir com esta minha "aventura"? Saí de casa para comprar (apenas) um vestido e trouxe umas calças, uma camisa, dois cintos e uma clutch, para casa! E este é outro dos fenómenos que certamente já vos aconteceu, pelo menos uma vez na vida. Saímos com um propósito, um objectivo e voltamos com uma série de outras coisas que estavam longe de ser necessárias ou pelo menos para já. Conclusão a retirar: Afinal (e como sempre) tinha, em casa, tudo aquilo que preciso.

Imagem © Direitos reservados

setembro 22, 2015

Sobre a Consultoria de Imagem #43

"Há decisões que conseguimos tomar sozinhas, outras que não, mas independentemente disso dá sempre muito jeito ter uma opinião, um conselho de amigo ou mesmo a ajuda de um profissional. Com a roupa não é diferente e o closet cleaning é isso mesmo, o dia em que deixamos para trás o que já não faz parte do nosso “eu” actual, da imagem que queremos projectar, e que, com a ajuda de uma amiga muito querida, que é também profissional de moda, nos vemos livres de toda a roupa que está só a ocupar espaço no roupeiro, das coisas hediondas que alguém nos ofereceu, mas que ainda não desapareceram porque podia parecer mal, das roupas de há não sei quantos anos que apesar de terem um aspecto acabado continuamos a adorar… só quando começamos a separar é que nos damos conta da quantidade de tralha inútil que acumulámos!

Foi assim a semana passada quando a Babi foi lá a casa. Confesso que estava um bocadinho preocupada com o que ela iria pensar do meu roupeiro, pois eu tinha a noção que estava bastante démodé, que tinha pouca roupa para uma mulher da minha idade e achava que nada combinava com nada… A primeira surpresa que tive foi quando juntei tudo no mesmo roupeiro e descobri que tinha mais roupa do que pensava! Ah, e sapatos também…

Antes de pormos mãos à obra falámos um pouco sobre o que eu pretendia com o closet cleaning. No meu caso era modernizar e ter um ar um pouco mais sofisticado, principalmente por motivos profissionais, mas também porque senti que estava na altura de uma mudança a nivel pessoal e de auto-estima. Descobri nesse dia que a minha imagem mental do que seria “roupa para trabalhar” estava obsoleta e que realmente tinha muita roupa que tinha que desaparecer, mas que dentro das peças que já tinha, muitas até "deram para safar" e a lista de compras não era tão grande assim. Separámos toda a roupa de verão e de inverno entre “o que fica”, “o que vai” e o que “dá para andar por casa ou para fazer ginástica” e no final, o sofá tinha roupa “para ir” quase até ao tecto! Curiosamente o que ficou eram nada mais, nada menos do que as peças que normalmente uso no dia-a-dia, ou seja, nem sequer vou sentir falta de toda a roupa que desapareceu e o melhor é que agora tenho espaço para compor o que me falta e sei exactamente o que preciso de comprar para jogar com o que já tenho. Para além disso ainda aprendi novas formas de usar algumas peças das quais até gosto mas que não conseguia conjugar. O tempo voou e tudo aconteceu num ambiente super descontraído. A Babi age como uma profissional, mas ao mesmo tempo torna a tarefa divertida, sempre respeitando os meus gostos e nunca entrando em julgamentos (nem mesmo sobre as roupas mais horríveis). 

Posso dizer que foi sem sombra de dúvida uma tarde muito bem passada e acima de tudo muito útil.
Aconselho vivamente a todas que passem por esta experiência, pois vai sem dúvida abrir-vos novos horizontes, e acima de tudo espaço no roupeiro para encher de coisas giras! 

Obrigada Babi, és realmente única! Um grande beijo *." Sofia M.

Obrigada eu Sofia! 

setembro 21, 2015

Princípio da Semana #60

con·tem·pla·ção- Acto de contemplar; Deferência; Olhar muito tempo e com atenção; Mirar-se; Olhar para si; Meditar profundamente.

"Somos mais felizes quando conseguimos que o nosso coração, inspire os nossos olhos..".
Sempre pensei na palavra contemplar como um acto de puro e genuíno amor. O ficar pura e simplesmente a olhar, a absorver aquele, aquilo que é alvo da nossa contemplação. Observar e contemplar são duas coisas que facilmente podem ser confundidas, mas que são na sua génese bastante diferentes. Observar é algo que fazemos todos os dias, a toda a hora, e que em muitas ocasiões pode ser feito praticamente sem sentirmos. Observamos tudo o que se passa a nossa volta e somos alvo da mesma observação. Mas contemplar é algo de muito mais profundo, solene até. Não tem objectivo definido. Acontece pura e simplesmente quando nos deparamos com algo ou alguém que de certa forma faz parte de nós, do que ou de quem gostamos. São momentos nossos, que vivemos interiormente e em que acima de tudo nos parece que o tempo pára e nada mais à volta existe. 

Contemplar exige paixão. Muita. Sentimento. Muito. Dedicação, devoção, até. Sou pessoa de contemplar. Das pequenas coisas às grandes. Contemplar o que vejo, o que decido ver. E a contemplação é isto mesmo. O VER, o decidir ver o que mais ninguém vê. Gosto do mistério, o mistério do outro, aquele que é o alvo da minha contemplação, de o absorver. É esse desvendar que me prende, que me "amarra". O tentar perceber.

Por mais que não seja consciente queremos sempre perceber, tudo. Achamos que precisamos de enquadrar emoções, sentimentos, no fundo tudo o que sentimos, mas e penso que a contemplação é um perfeito exemplo disso, nem sempre conseguimos explicar o porquê de sentirmos o que sentimos e isso causa-nos frustração, angústia, dor até. Como seres racionais que tentamos ser, a toda a hora, achamos que precisamos sempre de o fazer até para aquilo que não é para perceber que é- Porque de facto somos apaixonados por algo, ou alguém? Porquê? Podemos apontar vários motivos, escrever até, mas a verdadeira explicação não reside em palavras, não está nelas. Por mais elaboradas que sejam ficam sempre aquém do que de facto, É.

O mundo precisa de pessoas que saibam pura e simplesmente amar. O tal dar sem esperar nada em troca. Que se entreguem sem medo de sofrer (até porque esse sentimento em si já é um sofrimento). O mundo precisa de pessoas que sorriam de verdade e com vontade. Que chorem, que gritem sem medo do que os outros irão pensar. Pessoas que independentemente da idade, brinquem e que digam piadas só porque sim e que abracem como se fosse o mundo a abraçar-nos. Pessoas que saibam perdoar e seguir em frente. Construir. Pessoas que saibam que o mundo não é cor-de-rosa, mas é possível fazer dele um misto de várias cores. Pessoas que olhem, que vejam, que contemplem.

Imagem © Direitos reservados

setembro 18, 2015

O Fenómeno AR

34 Anos. (Já) uma história, uma lição de vida. Fui ver a semana passada este que é um documentário sobre a vida, o cantor, a pessoa Anselmo Ralph.

"Conheci" o Anselmo e as suas músicas o ano passado, como a maior parte de nós e confesso que até hoje, a nível musical foi das maiores surpresas que tive. Apaixonei-me instantaneamente pela sonoridade, pelo ritmo, pela voz e pelas letras. Sim, as letras. Não tenho qualquer problema em admiti-lo. Se podem ser consideradas de "básicas" por muitos? Podem. Se calhar até são. Eu prefiro chamar-lhes simples. Foi essa simplicidade que me prendeu, desde o primeiro instante que lhes decidi dar atenção, neste caso ouvidos. A verdade dos factos é que Anselmo está, é um fenómeno, à escala intercontinental. Não pára de dar concertos, de assinar contractos, de fazer tudo e mais alguma coisa, de ser notícia portanto.

O documentário fala-nos do seu percurso de vida e da sua conquista progressiva por vários (ou todos) os continentes, da sua pesada doença e da forma como sempre lidou com esse percalço, mas mais do que isso mostra-nos algo e dá-nos a conhecer aspectos bem mais importantes da vida e pessoa AR, como por exemplo o Anselmo que não escreve letras, ("para quê escrever se está tudo no coração?") e se as tem na cabeça, o Anselmo que tem cuidado na construção das mesmas, porque para ele está sempre a família como núcleo principal, a escolha das coreografias, consoante se há crianças ou não a assistir aos concertos e todo um leque de pormenores que me fazem afirmar que é de facto um exemplo de vida, de pessoa e de simplicidade. E é isso que mais admiro em AR. A sua enorme, gigante simplicidade. A sua boa-disposição o seu (bom) coração e também outra qualidade igualmente bonita, a sua humildade. Refiro várias vezes em conversas que já tive sobre ele que não conheço mais nenhum artista, cantor e/ou banda que acabe todos os seus concertos (sim, vou a todos que posso), com uma música que se chama "Muito Obrigado". E penso que com isto está, mesmo, tudo dito. O mais puro exemplo de reconhecimento e de humildade. Admiro muito pessoas assim e por isso sou fã da sua força, da sua determinação, da sua garra. 

"Nunca vou fazer aquilo que não sinto".



Imagem © Direitos reservados

setembro 17, 2015

setembro 16, 2015

T-Shirt solidária Avon

Sabia que todos os anos são diagnosticados aproximadamente 6.000 casos de Cancro da Mama em Portugal e que a prevenção é mesmo a melhor forma de combate da doença?

O projecto solidário da Avon- "Cruzada Contra o Cancro da Mama" tem resultado na melhoraria da qualidade de vida de muitas mulheres. Até agora a marca já conseguiu angariar e doar mais de 2 milhões de euros a diferentes hospitais públicos, que se repercutiram na entrega de mamógrafos digitais para detecção da doença. Este ano e juntamente com a sua nova embaixadora, Inês Castel-Branco, a marca volta a apoiar esta luta lançando uma t-shirt solidária (super gira) que tem como mote “Pequenos gestos salvam vidas!”. 

Assim com 6€ é possível ajudar a salvar uma vida! O valor das receitas das vendas das t-shirts reverte 100% a favor desta causa, que tem como objectivo apoiar a Liga Portuguesa Contra o Cancro no programa de Rastreio de Cancro da Mama.

setembro 15, 2015

Trabalho e Paixão

Partilho aqui este que foi dos trabalhos mais desafiantes e enriquecedores que fiz até hoje. Trata-se de um vídeo de promoção da nova marca Vilamoura, do qual fui responsável pelo guarda-roupa. Foi conseguido em tempo record graças ao esforço, profissionalismo, dedicação de uma equipa verdadeiramente fantástica e apaixonada, da qual me orgulho muito de pertencer, naquele que provavelmente seria o pior fim-de-semana do ano para o fazer (exactamente o de meio de Agosto). Vale a pena ver, mais que não seja para matar um bocadinho saudades das férias e do Verão que parece que (já) nos quer deixar, este que é o resultado de 4 dias verdadeiramente únicos e alucinantes: 


Ficha Técnica:
Co-Production Ricardo Oliveira Alves / B'lizzard
Production and Directing: Ricardo Oliveira Alves
Executive Production: Pedro Canavilhas
Director of Photography and camera: Ricardo Rezende
Aerial Cinematography: Pedro Canavilhas
First assistant director: Dinis Costa
First assistant camera: Filipe Neto
Production assistant: Ruben Santos
Costume designer: Babi Pereira
Editing and Color grading: Miguel Cilindro Figueiredo
Models / Actors: Fernanda Diniz; Isabel Sousa; João Falcão Trigoso; Manuel Leitão; Tomás Simões.

setembro 14, 2015

Princípio da Semana #59

Se- Conjunção subordinativa integrante; Conjunção subordinativa causal; Pronome apassivador; Índice de indeterminação do sujeito; Parte integrante do verbo; Pronome reflexivo; Pronome reflexivo recíproco; Partícula de realce ou expletiva.

Se- eu; Se- tu; Se- ele, ela; Se- nós; Se- vos; Se- eles, elas. Se- Junção de duas letrinhas apenas e no entanto, um mundo de significado(s). Não é novidade nenhuma que apesar de não o conseguirmos aceitar, nada mesmo nada nos é garantido e por isso nunca sabemos o que vai acontecer, por isso faz parte da nossa condição vivermos sempre na e com a dúvida. É muito normal e recorrente pensarmos se teremos feito o certo. Se tomamos o caminho certo, se escolhemos o curso certo, a profissão certa, a pessoa certa, a vida certa. As perguntas "Será que era mesmo isto?" "Será que fiz bem?", "Será que não poderia ter feito de outra forma?" são uma constante dúvida que paira nas nossas cabeças. Logo o "Se" está e estará sempre presente.

Considero que existem dois tipos de Se's. Os doces e os (por vezes muito) amargos. Os Se´s doces são aqueles que são resultado de uma decisão que nos prova todos os dias a toda a hora que tomamos a decisão certa em escolher determinado caminho, pessoa, etc. em detrimento de outro, outra. Os Se's mais amargos são aqueles em que tomamos a decisão corremos o risco e sentimos que falhamos. Estes últimos tiram-nos a força. Os riscos que corremos e cujos resultados não correm como esperado fazem-nos perder a fé. Parar de acreditar. Tendem a fazer ligação directa com uma das palavras que menos gosto no dicionário português que é desistir. A questão é que este desistir quando se trata de algo ou de alguem que queremos muito nunca pode ser opção, por isso, temos que ser resilientes e encarar estes se's menos doces um desafio, uma superação, um degrau (que muitas vezes nos pode parecer superior ao alcance da nossa perna), mas que certamente está, porque caso contrário não seria o próximo que temos para subir.

Viver é por si só um risco e também correr riscos. É perigoso? Sim, é! Mas não podemos deixar que nossos medos nos impeçam de enfrentar os perigos que precisamos e temos de enfrentar (que muitas vezes nem são assim tantos ou tão perigosos quanto nos possam parecer). Como não temos a capacidade de ver para além das nossas escolhas, vivemos na incerteza. E esta é a dura realidade que todos temos de aceitar, um dia, e isso não tem que ser necessariamente mau. Tudo depende sempre da maneira como olhamos para as coisas. Uma coisa acredito- "Correr riscos é melhor do que passar o resto da vida arrependido por não ter tentado". E não há nenhum caminho que não possa ser experimentado. Tudo depende de nós e de pensarmos que realmente conseguimos TUDO. E se temos algo de muito forte porque lutar o pensamento que temos de ter é:

E se continuarmos a tentar? E se tentarmos as vezes que forem necessárias?

Imagem © Direitos reservados

setembro 10, 2015

#VFNOLisboa2015 Meeting Points


A Vogue Fashion’s Night Out apresenta mais uma vez um roteiro repleto de experiências e oportunidades únicas para (mais) uma noite de festa! Além das acções oferecidas pelas mais de 250 lojas aderentes da Avenida da Liberdade, Rua Castilho, Príncipe Real, Chiado e Baixa este ano a VFNO arranca com a abertura oficial do evento na praça central do Rossio, às 18h00. 

Para que esta seja uma noite memorável a Vogue terá várias acções a decorrer. Na Praça do Marquês de Pombal as iniciais em grande dimensão da Vogue Fashion’s Night Out estão desde dia 3 de setembro expostas na frente do Parque Eduardo VI como um convite de entrada para um dos eventos mais esperados do ano. 

Na Avenida da Liberdade estará montado um pequeno estúdio ao ar livre onde todos os visitantes se podem fotografar com acessórios de moda para um registo em formato flipbook que reproduz os movimentos feitos na sessão fotográfica. No Chiado existirão também duas caixas de bonecas em tamanho real para que todos possam também ficar com um registo fotográfico da noite.

Como já é habitual a Vogue Fashion’s Night Out oferece a oportunidade de conhecer novos produtos e dicas de beleza e hairstyle, assim na noite em que a Moda sai à rua a Caudalie junta-se à Max & Co, na Rua Castilho e à Zilian, na Rua Garrett, para promover a sua loção corporal com cor pernas divinas. Quanto a cuidados de cabelo a Pantene proporcionará aos visitantes do seu espaço, na Avenida de Liberdade, a possibilidade de experimentar a edição limitada de produtos reparadores Summer Boom e aconselhamento por profissionais da marca. Também na Avenida da Liberdade a Tresemmé promoverá o maior espectáculo de hairstyling, revelando as tendências para este outono/inverno.

Para uma pausa cheia de prazer e porque um gelado também pode ser um acessório de moda a Magnum surpreenderá com novas combinações. No dipping station do lounge da marca, na Avenida da Liberdade, vai ser possível personalizar cada Magnum com as melhores coberturas de chocolate e toppings pink & black. Um gelado diferente para uma noite especial!

A Boursin, marca francesa de queijo premium, estará presente entre a Avenida da Liberdade e Rua Castilho para oferecer a todos a possibilidade de degustarem os seus produtos e a Guloso, em conjunto com a Pizza Rua, terá uma carrinha junto à Praça do Rossio para unir o conceito "grab and go" com os seus molhos. Já no Miradouro São Pedro de Alcântara será apresentada aos visitantes da Vogue Fashion’s Night Out a nova Carlsberg NOX, uma cerveja que se destaca pela sua singularidade e garrafa preta. 

Uma das novidades vai acontecer na Uzina Varanda Fest, no Príncipe Real, a partir das 19h00. Os grandes descontos em livros, são só um pretexto para assistir às actuações ao vivo dos D’Alva, Sequin e Da Chick e ao DJ Set Casa Cláudia. Outra das iniciativas únicas da noite, estará a cargo da Cushman & Wakefield que se associa à Vogue Fashion’s Night Out, também pela primeira vez. A fachada do edifício da consultora, no número 131, da Avenida da Liberdade, será a tela de um espectáculo de videomapping com várias sessões durante a noite.

LX Market

De volta ao Jardim do Príncipe Real e ao Rossio a quarta edição do Fashion Market, em parceria com o LX Market, é um espaço de paragem obrigatória que pretende replicar as feiras tradicionais de Lisboa. Aqui a tradição e a criatividade fundem-se num mercado de rua com bancas de venda livre e produtos de espírito Vogue em ofertas exclusivas.

Exposição APAV 25 anos

Em comemoração dos 25 anos a Associação Portuguesa de Apoio à Vítima apresenta uma exposição com imagens das suas campanhas de sensibilização no reservatório da Patriarcal, no Príncipe Real. A exposição, com entrada junto do Fashion Market, será inaugurada às 19h00, com um cocktail animado ao som de um DJ set. 

Solidariedade

A Vogue Fashion’s Night Out também tem um carácter solidário. Assim e nesta edição a VFNO associou-se à APAV com a criação de pins e t-shirts cujas vendas revertem na totalidade para a causa. O merchandising pode ser comprado aqui ou em qualquer um destes espaços.

E pronto, é mais ou menos isto que a Vogue tem para nós hoje a partir das sete da tarde. Falta muito pouco! Vai (mesmo) conseguir ficar em casa?

Imagem © Direitos reservados

setembro 09, 2015

"Dogs and the City"

O nome é genial e o conceito ainda melhor. No próximo Domingo entre as 10h e as 19h vai realizar-se mais uma edição do “Dogs and the City” no Jardim Vasco da Gama, em Belém. Esta será uma tarde destinada a pessoas e cães que vivem na cidade e que tem como objectivo sensibilizar a sociedade para a necessidade de criar melhores condições para que os nossos anjinhos de 4 patas sejam considerados como aquilo que realmente são, ou seja como membros integrantes da nossa família.

São várias as actividades que lá podemos encontrar desde um Playground canino com piscina de água e bolas; aulas de obediência e desparasitação externa gratuitas (realizada por veterinários da Frontline); aconselhamento nutricional (da Royal Canin), assim como demonstrações caninas (Agility, GOC da PSP, Freestyle e Discdog) e ainda uma aula de zumba e military training (para participantes de duas patinhas) entre muitas outras.

Acima de tudo prevê-se uma tarde super divertida em e para toda a família!

Imagem © Direitos reservados

setembro 08, 2015

#6anosbabiaúnica

Desfazermo-nos de coisas, das nossas coisas não é fácil. Obedece a todo um padrão de desapego a que só chegamos num determinado ponto da nossa vida e ao qual muitas vezes somos obrigadas, por acontecimentos externos à nossa vontade, a fazê-lo. Este foi o mote, o meu mote e saber que tinha que o fazer. A juntar a isso, havia uma data, um número a celebrar e uma causa que defendo e apoio sempre que posso e à qual me juntei há muito tempo, mais precisamente há 12 anos, desde que um determinado ser de 4 patas de seu nome Brownie entrou na minha vida. Foi a combinação perfeita de três factores que fez com que esta celebração acontecesse. E foi para lá de bom. Aconselho vivamente um dia a fazerem algo do género. É libertador.
Quero agradecer em particular às minhas (incansáveis) Amigas, que me ajudaram a preparar isto tudo em tempo record, a toda à equipa 5* do hotel NH Liberdade, à Mary Kay, à BodyConcept e DepilConcept que fizeram com que tudo isto fosse ainda melhor.

setembro 07, 2015

Princípio da Semana #58

o·bri·ga·do(a)- Que se sente devedor por ter sido alvo de uma atenção; Agradecimento; Expressão usada para mostrar gratidão.

Uma palavra tão simples contudo tão cheia de significado. Dizer "obrigado" faz bem a quem o diz e melhor ainda a quem o ouve.

Ando há algum tempo a pensar que esta é uma das palavras que mais dizemos no dia-a-dia, mas que na maior parte das vezes não pensamos ou neste caso não sentimos o seu verdadeiro significado. É preciso aprender a verdadeira importância do acto de agradecer, diria que é urgente até. Parece-me que a maior parte das vezes em que o fazemos ou dizemos é porque nos sentimos, por uma questão de educação, obrigados a dizer obrigado...

O obrigado a que me refiro hoje não é este, não é o obrigado que dizemos a quem nos segura a porta do prédio, do elevador, do centro comercial, a quem nos dá os sacos das compras ou quem nos apanha algo que deixamos cair no chão, é um bem diferente. É aquele que devemos sentir todos os dias, o obrigado por termos tudo aquilo que temos, o obrigado por vivermos no país que vivemos, o obrigado pelo dia de sol fantástico que está hoje, o obrigado por termos Amigos, família, o obrigado por haver quem se preocupa connosco, o obrigado por sermos queridos, o obrigado por termos "aquela" pessoa (ou ser) na nossa vida, o obrigado por termos saúde, mobilidade, visão, afectos, em última instância o obrigado por estarmos vivos e podermos sentir e vivenciar isto tudo... E há tantas formas de o fazer, sem sequer termos que usar a própria palavra, é só verdadeiramente sentirmos este sentimento de gratidão dentro de nós e o resto serão comportamentos, gestos, palavras, atitudes naturais.

É certo que isto é um tipo de comportamento que devemos começar a aprender na infância e que nem sempre isso acontece. É certo também que não temos tudo o que queremos, ninguém tem e é muito mais fácil criticar o que está mal, e pensar no que não temos e nos faz falta, do que no que temos, pois como humanos temos uma tendência natural para isso. Para não valorizar e sim suspirar pelo que (nos) falta. Dizer obrigado é uma forma de passar gratidão. É, acima de tudo, um acto de dar e receber e este é um exercício de amadurecimento e de humildade também. Sentimentos como o orgulho ou o egoísmo, que todos temos um pouco, muitas vezes impedem-nos de o fazer e de dizer as tais palavrinhas mágicas como obrigado ou por favor, mas esta dificuldade pode e deve ser trabalhada pois, felizmente para nós, estamos sempre num processo evolutivo.

Apesar de já há muito tempo esta ser uma prática diária para mim, o de agradecer interiormente tudo o que tenho, neste momento e depois de sexta-feira passada sinto-o como algo que me inunda e preenche de uma maneira muito forte. Sinto-me muito grata por todos os momentos que fizeram parte daquele final de tarde, por cada mensagem de Parabéns que recebi, durante toda a semana e particularmente por ter tido a presença de todas as pessoas que se deslocaram até ao sítio onde estava para comigo comemorarem estes meus últimos (tão importantes) 6 anos de vida.

Hoje lembrei-me que há coisas que nunca nos podemos esquecer. Agradecer é uma delas. Por isso digo: Obrigada, de coração cheio e sorriso (muito) largo. 

setembro 04, 2015

É HOJE- S-E-I-S!



Logo à tarde espero por vocês para um final de tarde único num sítio muito especial para mim. Trata-se do rooftop do hotel NH Liberdade que tem uma das vistas mais deslumbrantes de Lisboa.

Para os mais distraídos relembro que esta celebração de 6 anos de blog vai contar com um Sunset e com um Summer Market onde vão poder encontrar roupas, acessórios, calçado, maquilhagem, livros e outros artigos, cuja parte das vendas reverterá a favor da Animalife- A criar histórias felizes”. O Summer Market conta também com o apoio da Mary Kay, por isso todas(os) que efectuarem compras no mercado recebem um gift da marca. A BodyConcept e a Depilconcept também têm ofertas para as(os) presentes entre outras surpresas. Tudo isto vai acontecer entre as 18.30 e as 21.00, na sala Saramago e no rooftop Ático.

Caso não queiram comprar nada, no local irá também haver um mealheiro para poderem contribuir para a Animalife, por isso quem quiser apenas contribuir e/ou aparecer mesmo que seja só para olá e um beijinho, será muito bem recebida(o)!

Imagem© Direitos reservados

setembro 03, 2015

Das EXCELENTES iniciativas- "Devemos Dar como Queremos Receber"

Diria que 99% das pessoas tem alguma coisa em casa que já não precisa. A pensar nessa realidade os CTT lançaram a campanha "Devemos Dar como Queremos Receber". Basta levantar uma embalagem solidária (ou várias) nos CTT, incluir o que queremos dar e assinalar na própria caixa a instituição para onde queremos que seja enviada. Há caixas de 2 tamanhos diferentes e apesar das várias instituições estarem assinaladas na própria embalagem, recomendo que peçam à menina(o) do balcão que vos forneça o folheto com a lista completa.

O funcionamento é bastante simples: Leva-se a caixa para casa, enche-se, fecha-se (o melhor possível, para não abrir), assinala-se a instituição e entrega-se nos CTT. Super prático e ah é grátis! Por isso não temos mesmo desculpa para não participar! Eu já tenho duas prontas a seguir.

setembro 02, 2015

S-E-I-S na próxima Sexta-Feira

Dia 4 é dia de festa e comemoração de 6 anos de blog. Relembro que será entre as 18.30 e as 21.00, no hotel NH Liberdade, na sala Saramago e no rooftop Ático.

Esta celebração vai contar com um Sunset e com um Summer Market onde vão poder encontrar roupas, acessórios, calçado, maquilhagem, livros e outros artigos, cuja parte das vendas reverterá a favor da "Animalife- A criar histórias felizes”. O Summer Market conta também com o apoio da Mary Kay, por isso todas(os) que efectuarem compras no mercado recebem um gift da marca. Uma das surpresas que posso divulgar já hoje será a presença da BodyConcept e da Depilconcept que nos presentearão com algumas ofertas.

Caso não queiram comprar nada, no local irá também haver um mealheiro para poderem contribuir para a Animalife, por isso convido-vos, uma vez mais, a se juntarem a mim para um final de tarde de Verão único! 

setembro 01, 2015

Mudar de Cabelo...

Setembro é dos meses em que mais apetece (e se deve, até) mudar, entre outras coisas de penteado. É a altura ideal para fazer "aquele" corte. Assim como na roupa em que para cada tipo de corpo existem determinadas peças que devemos ou não usar, também no cabelo o corte deve ser adaptado ao tipo de rosto que temos. Deixo algumas sugestões de acordo com cada um deles:
Rosto oval

Rosto quadrado

Rosto redondo

Rosto triangular
Imagens © Direitos reservados
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Babi a Única © 2009-2014. All Rights Reserved | Powered by Blogger

Blog Design por The Zero Element