PRINCÍPIO DA SEMANA #68

cho·rar - Ter choro; Verter lágrimas; Fluir humor a; Lamentar; Afligir-se muito; Destilar.

Há alturas em que forçosamente somos obrigados a sair do nosso pequeno "mundinho". Alturas em deixamos de olhar (apenas) para o nosso umbigo e que por momentos pomos os nossos problemas em segundo ou terceiro plano. Momentos em que somos avassalados por imagens de terror e em que a perplexidade nos atinge. Momentos em que uma pequena palavra passa in repeat na nossa mente: Porquê? Sim, porque é que acontecimentos como os que aconteceram na passada sexta-feira acontecem e continuam acontecer pelo mundo fora. E mesmo para pessoas que, como eu, acreditam que tudo acontece por um motivo, assim de imediato é muito difícil de aceitar e de digerir este tipo de acontecimentos. E como não entendemos, como não temos capacidade de os entender, porque não temos, resta-nos lamentá-los.

Em silêncio, ou não, sofremos por quem não conhecemos mas com quem, como seres humanos, nos identificamos e assim de repente, somos como que atingidos com um tipo de sentimento de tristeza colectiva e (quase) mundial e choramos.

Apesar de ser das palavras mais tristes do nosso vocabulário e com uma conotação que muito pouco tem de boa chorar também pode ter e tem mesmo uma vertente bastante positiva, pois acredito que chorar é tão necessário quanto rir e em muitas alturas é mesmo a única coisa que nos ajuda a libertar o que tem que ser libertado, todas as dores, mágoas, perdas e afins. E, por isso, desde há muito tempo que vejo o acto de chorar como algo de positivo. Se pensarmos que existe o chorar de alegria e que este é, na minha opinião, dos momentos em que mais sentimos pura felicidade, então podemos facilmente chegar a esta conclusão. Mas a verdade é que está provado que ao chorarmos o nosso corpo libera substâncias que actuam como um calmante natural, o qual ajuda com que a dor não seja tão forte como nos parece ser, no momento. Por isso chorar acaba por ser um bom exercício e que nos ajuda a manter o bom funcionamento do nosso corpo. Por isso é importante pensarmos que não devemos reter as lágrimas, surgam elas em que altura surgirem. Se elas nos nascem nos olhos é porque são o reflexo do que o nosso organismo precisa, e se há algo de perfeito é o funcionamento o do nosso corpo. Por isso há que libertar, tudo o que não seja positivo, todas as angústias e emoções negativas, pois se não o fizermos e se insistirmos em não o fazer, a longo prazo, evoluirão para algo de muito pior. E super importante é que nunca, mas nunca devemos sentir medo nem muito menos vergonha de expressar os sentimentos e de chorarmos. Não é fácil, mas é algo que se vai aprendendo a fazer, faz parte de ser adulto também o acto de chorar e de saber chorar. Por isso há que deixar sair as nossas lágrimas, quando nos pedem para sair e com elas muitos dos nossos problemas, emocionais ou físicos.

"Chorar é diminuir a profundidade da dor"- W. Shakespeare


Imagem © Direitos reservados

CONVERSATION

0 comentários:

Enviar um comentário

Back
to top