Mas o que se passa com os sapatos femininos?!

Eu sei que gostos não se discutem e que existe a máxima "primeiro estranha-se depois entranha-se", mas esta não me convence, não me convence mesmo! Li esta semana que estes novos granny shoes são o "último grito da moda". A pergunta que faço em cima é algo que já povoa a minha cabeça há algum tempo pois tenho vindo a assistir a um verdadeiro "assassinato" à feminilidade dos nossos pés. Esta "febre" de ugly shoes entre os quais saliento UGG's, Birkenstock's, Crocs (que me perdoe a marca, mas para mim, apenas deveria ser permitida a sua venda a profissionais da jardinagem e pessoas que trabalhem na área da saúde), socas (como é que alguém consegue andar em cima de madeira é algo que me transcende, mas enfim...), sapatos de corda e cunhas a torto e a direito, que é verdade até podem ser super confortáveis mas de elegantes têm muito pouco ou nada, sandálias de plataforma como as que foram grande tendência este Verão que em muitos casos têm uma altura tal que parece que andamos em cima de tijolos de plástico... Tudo isto começa já a escapar ao meu entendimento.

Mas afinal o que é feito dos sapatinhos de princesa? Dos sapatos super elegantes e femininos? Das sabrinas simples, com ou sem laço, (pessoalmente não dispenso o laço), dos stilettos clássicos?... E não vale a desculpa de todos os modelos que citei em cima serem super confortáveis, porque há milhares de modelos de sandálias e sapatos rasos e às vezes até com salto, que são super confortáveis... Os ténis tudo bem, até porque cada vez estão mais femininos e até já eu fiquei rendida e actualmente ténis para mim já não são apenas All Star, como era até há uns tempos atrás. Os meus Adidas Flux rosa com bolinhas brancas abriram todo um precedente. Mas agora, granny shoes? Say What?? Penso e na minha modesta opinião que já seria a altura de um "back to the basics"...



Imagens © Direitos reservados

CONVERSATION

1 comentários:

Back
to top