Princípio da Semana #48

po·pu·lar - Relativo ou pertencente ao povo; Que é usado e desperta simpatia e afecto entre o povo; Vulgar; Plebeu; Muito conhecido; Notório; Democrático.

Estamos num mês em que a palavra popular impera. Junho para além de ser o início do Verão e da altura de férias é o mês em que de Norte a Sul do país existem um conjunto de comemorações e eventos populares a acontecer. 

Se olharmos para a definição do que significa a palavra popular, o que nos vem logo à cabeça é que popular refere-se a tudo o que pertence ao povo e isto muitas vezes tem uma conotação algo negativa. Como se se é do povo é menos bom. Mas a questão e que muitas vezes nos esquecemos é que povo, somos nós. Este Sábado passado participei pelo segundo ano seguido e a convite da marca em mais uma Festa Continente, a quem dou os meus parabéns por toda a organização. Enquanto lá estava dei por mim a pensar quão interessante é este conceito de povo, de popular, de popularidade, tudo palavras que se complementam. Participar em eventos como os santos populares, arraiais ou nesta mega festa do Continente, provoca em nós um sentimento de alegria, de celebração. Há quem torça o nariz por achar que este tipo de acontecimentos são para o povo (ou indo um pouco mais atrás na história, para a plebe, termo que costumo usar por brincadeira), mas a verdade é que todos, quer queiramos quer não somos povo. Não há como fugir ou negar, mesmo que se queira. E a verdade é que existe toda uma comemoração, todo um sentimento de pertença, de comunidade que por norma só sentimos quando participamos em eventos deste género. 

Porque no fundo o que leva 500 mil pessoas (!) a um evento, se não este sentimento? Por mais popular (lá está) que seja o Tony Carreira (a quem dou os meus Parabéns, pela simplicidade e por mais um excelente momento da sua carreira), não é apenas uma pessoa, por mais querida e admirada que seja, que move multidões a passarem um dia inteiro sob um sol de 40 graus à sombra. É mais que isso.
Existe uma cultura tradicional ou de massas, a cultura popular existe em todas as sociedades e é de fácil generalização, pois consiste conjunto de manifestações criadas por um grupo de pessoas que têm uma participação activa nelas e expressa uma atitude adoptada e transmitida de geração em geração. Cada um de nós tem no seu interior a noção do que é popular, e normalmente envolve áreas como a música, a gastronomia, literatura, etc. Obviamente que esta noção pode variar de pessoa para pessoa, mas que existe algo que acaba por ser generalizado e que é definido pela vertente da tradição.

Sou pessoa que me assumo como popular no verdadeiro sentido da palavra. Gosto de arraiais, feiras, louca por pechinchas e achados mesmo em lojas "impensáveis" para isso (e quem me conhece sabe que isso é verdade), festas do género da que fui este Sábado, manifestações (desde que acredite nas causas), futebol, praia (não deixa de ser uma prática popular), (amo) farturas, frango assado, caracóis, pastéis de belém ou similares, adoro comer na rua, oiço e danço música considerada pimba se for preciso, já vi (muitas) telenovelas, só não vejo actualmente por questões relacionadas com tempo e não tenho qualquer tipo de problema em admiti-lo. Sou popular e com muito orgulho.

Temos uma cultura popular fantástica, mostramos que conseguimos ser unidos e não só quando há jogos da selecção, somos e acredito dos povos mais solidários que existem. e a prová-lo temos os resultados (e apesar da chamada crise), que superam sempre as expectativas a nível de campanhas de cariz social, portanto não somos (apenas) aquele povo triste associado ao fado e à saudade que muitas vezes nos querem pintar. Somos muito mais que isso.

"Para bem conhecer a natureza dos povos, é necessário ser príncipe, e para bem conhecer a dos príncipes, é necessário pertencer ao povo". Maquiavel, Nicolau

Imagem © Direitos reservados

CONVERSATION

0 comentários:

Enviar um comentário

Back
to top