Crónicas da Inês #21







Memórias

Há uns meses vi o filme "The Giver - O Dador de Memórias" (2014) que conta com magníficas interpretações da tão grande Meryl Streep e do, também grande, Jeff Bridges. O filme é baseado num livro de Lois Lowry e conta a história de um mundo perfeito onde toda a gente é feliz. Porém, no que aparenta ser a comunidade perfeita, sem guerra, dor, sofrimento, diferenças ou escolhas, um rapaz é escolhido para aprender com um ancião os verdadeiros prazeres e dores do mundo "real".

Esse rapaz de 18 anos, Jon, é escolhido para ser o Recebedor de Memórias da Comunidade. A formação com o ancião consistirá na passagem de recordações do mundo "real" às quais o resto da comunidade não tem acesso. Do Dador de Memórias, Jon aprende os conceitos de amor e família mas, também, de dor, guerra e todas as verdades tristes que o mundo carrega. E, depois disso, é a história do filme, que deixo para cada um de vocês ver.

Na minha opinião, a principal lição que o filme nos dá é o lembrar-nos que, definitivamente, precisamos do mal para apreciar e dar valor ao bem. Mas, a verdade é que, se pensarmos, é a capacidade que o ser humano tem de esquecer acontecimentos ou atenuar sensações passadas que nos permite continuar a experienciar e a viver.

É o esquecer do sabor amargo de um amor não correspondido que nos permite voltar a apaixonarmo-nos. É o esquecer das dores do parto que faz com que uma mãe deseje e anseie ter mais filhos. É o esquecer da sensação de borboletas na barriga que nos faz querer apaixonar outra vez. É a memória longínqua da sensação de estar com os amigos que dá lugar à saudade e nos faz querer repetir esses momentos.

Vale para o bom e para o mau. Realmente este filme deixou-me a pensar sobre o peso que as memórias tem na definição do nosso futuro. E a importância que tem a forma como gerimos as nossas recordações. E como até podia ser bom se, à semelhança do que havia naquele mundo do filme onde as personagens viviam, às vezes, tivéssemos algo que nos ajudasse a esquecer e nos pudesse permitir contar com algo mais do que o tempo.

Imagem © Direitos reservados

CONVERSATION

0 comentários:

Enviar um comentário

Back
to top