Princípio da Semana #29

tro·pe·çar- Dar com o pé involuntariamente em algum obstáculo; pisar em falso: Esbarrar; Encontrar algum obstáculo inesperado; Colidir ou embater em;

A vida é feita de tropeços. Todos tropeçamos. Todos os dias e a toda a hora. Tropeçar faz parte e é necessário para o nosso desenvolvimento, como seres humanos e sociais que somos.

Em cada tropeço há uma lição a aprender, única e bastante importante, embora muitas vezes demoremos muito tempo, anos até, a perceber qual era, e o que tínhamos ali a aprender. Acredito também que enquanto essa aprendizagem não é feita, vamos dando os mesmos tropeços até isso efectivamente acontecer em nós. Muitas vezes estes tropeços até acontecem quando achávamos que estávamos no bom caminho, e mesmo assim tropeçámos. Quando menos esperamos, tropeçamos. Voltamos a repetir as mesmas acções que nos levaram a esse tropeço e tropeçamos uma, duas, três vezes e achamos, legitimamente, que caímos e que não nos vamos conseguir levantar. Mas, e o que é um facto também, é que para “ganharmos” o que precisamos e queremos, temos que “perder” o que já temos. E muitas vezes este perder pode implicar mesmo perdas em vários campos da nossa vida e não é (nada) fácil passar por todo este processo. Não é. Tropeçar, cair, e ter a capacidade de nos levantarmos é bastante doloroso. Mas, tudo depende da nossa capacidade interior de reagir perante as quedas. Existem as pessoas que caem e reclamam da queda e as que sabem que mesmo caindo, podem e devem reerguer-se, aprendendo naquele momento uma lição de vida.

Na verdade, precisamos mesmo de tropeçar para ganharmos confiança nos nossos progressos. Como uma criança que lida com os tropeções tão bem até aprender a andar. E nós, enquanto adultos, também vamos aprendendo a caminhar, ou a reaprender. Todos os dias, reaprendemos. Tropeçar não é apenas cair, e muito mais que isso, faz parte do andar.

O importante é despertarmos a nossa consciência e aprender a cada queda, a cada tropeço e reter os erros que vamos cometendo. Os tropeços são acima de tudo experiências e ensinamentos que não vão sendo passados. Quando a tristeza por qualquer motivo quiser nos quiser "levar", há que nos levantarmos e sentir o ar, a vida que existe "lá" fora. Muitas vezes basta observar o que nos rodeia, a natureza das coisas mais simples, como um céu azul estrelado para percebermos que a natureza que foi feita inteiramente para nós. E com isso sorrimos e às vezes basta um simples sorriso nosso para curar ou ajudar a curar uma dor, um pensamento negativo, cicatrizar uma ferida, alegrar, no fundo, o nosso coração.

O importante é ter coragem e acreditar que tudo, está no caminho certo. Porque, aquele "um dia", vai chegar. Aquele instante que existe na vida de todos nós, chamemos-lhe o click. Aquele momento verdadeiramente mágico em que damos o verdadeiro "trambolhão" das nossa vidas. Aquele momento em que tropeçamos em algo ou alguém que faz com que tudo fique claro e transparente em nós, na nossa vida. Aquele momento em que percebemos tudo. Que todos os nossos tropeços serviram para nos levarem exactamente "ali", e tudo começa a fazer, verdadeiramente, sentido. Passamos a nos sentir no carril, no caminho certo e quando esse momento se dá percebemos que todos os nossos tropeços, todas as nossas quedas, foram o melhor que nos podia ter acontecido.

"Cada vez que caiu levanto-me mais forte..."- L. Pereira

Imagem © Direitos reservados

CONVERSATION

0 comentários:

Enviar um comentário

Back
to top