Crónicas da Inês #14

Relações

A propósito do dia de S. Valentim e das declarações no Papa Francisco sobre a tendência generalizada para banalizar o amor reduzindo-o somente ao aspecto sexual, penso que é uma boa altura para partilhar a minha visão de alguns comportamentos e dinâmicas de relações amorosas que tenho vindo a observar cada vez mais.

Não sei se é geracional mas verifico, principalmente em homens e mulheres dos 30 aos 45 anos, a indisposição universalizada para o não compromisso, i.e., para a proliferação de relações “light”, cenas, amizades coloridas (tantos rótulos, haja criatividade!) em detrimento do namoro. E quando penso que razões podem conduzir a esta alergia em assumir-se perante alguém, a entregar-se, ter-se, amar e ser amado, sem restrições, acabo sempre por cair em três ou quatro: medo, insegurança, egoísmo e/ou inexistência de um sentimento forte o suficiente (chamemos-lhe paixão ou amor) para trazer a outra pessoa definitivamente para dentro da sua vida. E a verdade é que isto não é exclusivo do género masculino ou feminino. Todos, homens e mulheres, na sua maioria, carregam esta insuficiência que os impede de dar o passo seguinte.

Gostava que fosse tempo em que as pessoas deixassem de ser cépticas e parassem de viver relações apenas dentro de quatro paredes e em privado. Algumas, relações de anos. Que dessem as mãos em público e aceitassem as características essenciais de beleza de um relacionamento (daqueles “sério sério”) e abraçassem o companheirismo, a fidelidade e a responsabilidade. Que isto de uma relação é mais do que um momento; e que relações novas não carregam a bagagem de relações anteriores; e que as relações passam por muitas fases (ansiedade, euforia, ansiedade, excitação, paixão, conforto, ciúme, felicidade) e que temos de nos permitir viver esses estados, sem bloqueios e expectativas.

São as relações que nos fazem crescer, por isso arrisquem. Vivam. Relacionem-se.
Deixem os vossos comentários e opiniões sobre este tema na caixa em baixo. Vou adorar conhecer a vossa perspectiva sobre esta matéria!

Imagem © Direitos reservados

CONVERSATION

0 comentários:

Enviar um comentário

Back
to top