Crónicas da Inês #12

Suficiente

Os ingleses têm uma expressão que gosto muito: “enough is enough!”. Mas, quando é que sabemos que é suficiente? Quanto é que é suficiente para parar de tentar? Quanto tempo é que é necessário para tentar engravidar? Quanto é que se deve lutar por uma relação? Quanto é que se deve correr atrás de alguém que não nos devolve metade do que damos? Quando é que devemos desistir de uma profissão que não conseguimos ter? Quando é que estamos suficientemente magras? Quando é que estamos suficientemente bonitas? Quando é que estamos suficentemente felizes? Quando é que sabemos que é ele o pai dos nossos filhos? Quando é que é altura de atirar a toalha ao chão? Persistir, abdicar, arriscar, investir, partir para outra. Quando e quanto?

A Maria e o Pedro estão a tentar engravidar há dois anos sem sucesso. Quanto tempo é suficiente? O Luís anda há 6 meses a tentar conquistar a Rita. Quanto tempo é que é suficiente para saber que não vale a pena insistir mais e que não vai conseguir tê-la? A Catarina e o João estão casados há 5 anos; a Catarina traiu o João há dois e desde aí as discussões são constantes. Quando é que sabemos se basta de investir em algo que pode nunca mais voltar a ser o que era ou se se deve continuar a lutar pelo nosso sonho? O Eduardo há 10 anos que tenta ser actor em Nova Iorque, sem sucesso. Quando é que sabemos que é alturar de fazer a mala e voltar para casa? Como sabemos que devemos parar? Quando é que é a altura de gritar: “chega!”?

Óbvio que ninguém sabe quando é que é suficiente. Porque há sempre uma possibilidade de mais: mais amor, mais tempo, mais o que quer que seja. Mais é melhor. Penso que tudo se resume a um misto de necessidade e desejo como se esses sentimentos fossem o barómetro para continuar ou parar. E depende sempre de cada um, individualmente. E do momento em que vivem. Às vezes basta um sinal, uma pequena prova, o suficiente para saborear, para saber o que se perde, o que se ganha. Outras vezes, pura e simplesmente, não há suficiente. Porque o suficiente é tudo e queremos sempre mais.

Agora diz-me: já fizeste o suficiente?

Imagem © Direitos reservados

CONVERSATION

0 comentários:

Enviar um comentário

Back
to top