Princípio da Semana #16


me·re·ci·men·to- Qualidade de quem merece algo ou alguém; Qualidade digna de apreço; Mérito; Fazer por; Atrair sobre si; Tornar-se merecedor.

Sorte. É uma palavra que usamos quase por tudo e por nada. Faz parte da nossa linguagem diária. O que é, na verdade, ter sorte? A sorte não é nada mais nada menos que uma colheita, por isso o que a maior parte de nós chama de sorte eu chamo de merecimento. 

Constantemente, nos perguntamos o motivo de passarmos por determinadas situações. A verdade é que as coisas boas da vida, as melhores, são e devem ser conquistadas. Viver bem, então, não é uma questão de sorte, mas sim de merecimento. Acredito acima de tudo que nada acontece por acaso, e esta é "a" minha verdade, aquilo em que sempre acreditei. Aliada e esta que pode ser considerada por muitos uma frase feita, vem o merecimento. Temos o que merecemos, logo temos o que procuramos e obtemos com nossos pensamentos, palavras e acções.

Já me interroguei diversas vezes porque é que quando algo de muito bom, algo que esperamos durante dias, meses, anos, (uma vida?), nos acontece, porque é que é tão difícil aceitarmos que merecemos? Porque tendemos a chamar-lhe sorte? Porque é que é muito mais fácil acharmos que não o merecemos do que o contrário? Na minha opinião, esta linha de pensamento está directamente ligada ao nosso senso de merecimento, à nossa auto-estima e consciência do que somos e do que de facto valemos e fazemos por nós, pelos outros, pelo universo até. O senso de merecimento existe em todos nós, é certo, mas é algo de que nem sempre temos a devida consciência. Devemos contruí-lo, pois esta consciência dá-nos força interior logo é (mais) uma ferramenta que devemos, sem dúvida, usar a nosso favor.

Merecimento tem a ver com acção. Os merecedores são fazedores, são proactivos, não esperam circunstâncias favoráveis porque eles fazem a circunstância se tornar favorável. Todos nós podemos ser merecedores. Todos merecemos ter vidas plenas ou felizes, como quisermos chamar. A questão é que muito poucas pessoas acreditam merecer TUDO, tudo de bom que existe. Não temos, nem devemos, limitar o que é o nosso bem. O nosso maior desafio é sair do comodismo ou zona de conforto e não estar à espera que ninguém faça, seja quem ou que entidade for, o que nos compete a nós fazer para sermos então merecedores desse que é o nosso TUDO. Cabe a cada um de nós usar nossa capacidade física, mental e espiritual para evoluirmos nesse sentido. Cabe a nós e não à sorte, ganhar essa consciência e existência.

Deixo uma sugestão: Da próxima vez que algo que algo que queria muito aconteça em vez de ter o pensamento "que sorte!", substituir progressivamente por "eu mereço!", "eu mereço isto!!", "eu mereço mesmo isto". A sensação, o sentimento interior será garantidamente diferente.

"Ninguém avalia tão caro o nosso merecimento, como o nosso amor-próprio"- Marquês de Maricá

Imagem © Direitos reservados

CONVERSATION

0 comentários:

Enviar um comentário

Back
to top