Princípio da Semana #7

en·con·trar(mo-nos)Ir de encontro a; Achar(mo-nos); Descobrir(mo-nos). Achar(-se); Ver(-se); Passar por.

"Not until we are lost do we begin to understand ourselves"- H. Thoreau

Há quem a comece mais cedo ou mais tarde, mas esta é sem sombra de dúvida a viagem das nossas vidas. Mais curta ou mais longa, consciente ou não, todos(as) a fazemos. Normalmente começamos pelo campo profissional, pois somos obrigados a fazer escolhas sobre o que queremos ser quando formos grandes e consequentemente escolhemos o que queremos estudar, fazer, "ser". Mas ninguém nos obriga a escolher o que queremos para nós, nos nossos relacionamentos. São escolhas que fazemos naturalmente, com base no que somos, nos nossos valores, no que sentimos, no que no fundo é importante para nós. A questão é que nesta matéria, não há o preto e o branco, há uma imensidão de cores, de sentimentos que temos que perceber em nós que nem sempre são assim tão claros e definidos como o que queremos profissionalmente. Encontrarmo-nos e daí percebermos o que realmente queremos para nós, em nós, no que nos rodeia, na nossa vida foi e falando a nível pessoal das viagens mais difíceis e longas que alguma vez já fiz. 

A viagem, esta viagem, a nossa viagem normalmente começa quando nos sentimos desconectados de nós, do nosso eu e isso faz-nos sentir perdidos. Há qualquer coisa (ou várias) que não estão bem e a partir do momento que nos sentimos assim esse é o início da viagem. A questão é como fazê-la. Que caminho seguir. Ajuda e muito se imaginarmos, se visualizarmos a nossa vida como a queremos, dado que temos o poder de evocarmos relacionamentos que estejam em harmonia com a liberdade, crescimento e sobretudo alegria que procuramos. Apesar de ser uma viagem que temos forçosamente de fazer sozinhos não quer dizer que não necessitemos de ajuda, precisamos claro, devemos aceitar o Amor de quem nos rodeia, de quem faz parte de nós, da nossa vida e que nos proporciona isso mesmo. De pessoas que nos digam: Aceita a minha ajuda e eu vou confiar que vais fazer o que é mais acertado com ela.

Encontrarmo-nos requer paciência, estar quietos, silenciosos, para que o nosso verdadeiro eu possa respirar. Precisamos de nos dar espaço para ver e ouvir o que temos para nos dizer. Na maior parte das vezes, estamos e ficamos no mesmo sítio fisicamente, mas ajuda e muito se viajamos interiormente para outro lugar, uma montanha parece-me adequado, dado nos dar outra perspectiva do que está ao nosso redor. Para nos encontrarmos temos primeiro que nos perder, este perder é essencial para começar a viagem. 
Sem medo, sem hesitação, sem dúvida.

Para TI que a estás a fazer...


Imagem © Direitos reservados

CONVERSATION

0 comentários:

Enviar um comentário

Back
to top