A democratização em compras de roupa (E descobertas do maravilhoso (ou não) mundo masculino)

É um facto que, todos nós temos estereótipos e ideias pré- concebidas, no que toca a tudo na vida, e o mesmo se aplica quando se fala de roupa, e em escolhas da mesma. Quando se juntam palavras como fato e casamento, o resultado é pensarmos imediatamente que iremos gastar imenso dinheiro, logo temos tendência a naturalmente ir a lojas consideradas "caras". A semana passada, tive uma experiência nova e muito interessante a nível profissional. Fui ajudar um Amigo, "da vida inteira", a escolher um fato para usar no seu casamento. O objectivo era encontrar um que fosse normalíssimo e que desse também para usar noutras ocasiões.

Corremos o Colombo, quase todo, e começámos por lojas como a Wesley, (em que o fato mais barato em que pegámos custava à volta de 700€). Vi, gostei, experimentámos, mas... Não era bem aquilo. Era a primeira loja que visitávamos e nenhum deles caia na perfeição. A ideia era uma coisa mesmo muito "normal" e que olhássemos e pensássemos "é isto!". Durante a nossa "odisseia", descobri coisas muito interessantes sobre o mundo masculino, como por exemplo o facto de ser possível mandar fazer um fato à medida, escolhendo, cores tecidos e materiais (no Corte Fiel, por exemplo), no tempo máximo de um mês. Também fiquei a saber, se caso pretendamos monografar uma camisa na Sacoor, estando no Colombo, demora cerca de 2 semanas, mas se estivermos no Vasco da Gama demora apenas poucos dias. 



A peça mais importante quando se compra um fato, é sem dúvida o casaco, pois é ele quem lidera o conjunto. E este, se for mal escolhido, não passará despercebido, pois tem de cair muitíssimo bem nos ombros. Tudo o resto, comprimento, mangas pode ser ajustado (caso haja tempo para isso, obviamente).


Já tínhamos percorrido várias lojas, quando o meu Amigo sugeriu que fossemos também à C&A, e eu que não sou mesmo nada preconceituosa em relação a lojas, para mim o caro nem sempre é sinónimo de bom e bonito, dei por mim a responder um: "Achas???!!!". Mas, e como já havia em mim algum desespero, pensei: "E porque não?". Entrámos, e o primeiro fato em que pegámos e "vestimos" foi o tal "Amor à primeira vista", que procurávamos... Mesmo não sendo o melhor, ou da melhor qualidade possível, a verdade é que de todos os que vimos foi o que mais gostámos. E mesmo não sendo da loja "xpto", vai fazer o mesmo efeito, custando 10 vezes menos. 



Lição de toda esta experiência? Não termos preconceitos em relação a marcas, e não pensarmos que se é para uma ocasião como um casamento, mesmo sendo noivo ou noiva, não temos que gastar rios de dinheiro para nos sentirmos (e estarmos, de facto) bem e elegantes.

CONVERSATION

1 comentários:

  1. Querida Babi, acima de tudo obrigado pela disponibilidade e pelo carinho. Adorei ir contigo descobrir sobre mim.

    ResponderEliminar

Back
to top