Passatempo de Natal 2011 (Resultado)

E pronto, mesmo mesmo a terminar a semana e em forma de presente antecipado, já tenho o resultado do Passatempo de Natal. Este ano, foi mesmo muito complicado, escolher apenas uma participação. Foi tão difícil que não consegui escolher apenas uma, nem duas... Mas sim 3!

E sem mais demoras as felizes contempladas com uma Consulta de Consultoria de Imagem, são:

" Será que se eu for escolhida no âmbito do concurso me organizo finalmente para ir?
E porquê eu?
Porque sou aquela típica mulher, que aos 30 anos ainda não sabe como maquilhar-se, que roupas vestir (nem sequer comprar) para cada ocasião.
Aquela típica rapariga a quem as colegas dizem “já tens idade para tratar de ti como deve ser”
Aquela típica mãe que prepara religiosamente a roupa e os acessórios da filha para o dia seguinte, mas que às 2 da manhã pensa “e amanhã o que vou EU vestir?”…logo se vê.

Enfim. Boa sorte para mim!"
Ana L.

A Joana M.:

"Olá Babi!

Sou a Joana, tenho 22 anos e aqui vão os meus argumentos para ser "a escolhida":
Porque é que acho que mereço mais que qualquer outra pessoa esta consulta de imagem?
Sinceramente e resumindo?
Porque sou uma confusão!! Aliás, arrisco a dizer que sou mesmo "a" confusão! O meu armário é uma confusão, a minha roupa é uma confusão, os meus sapatos são uma confusão, enfim.. E, por isso mesmo, preciso urgentemente de orientação (até rimou)!

Vá, agora a sério..

Sou licenciada em Direito e comecei o meu estágio há uns meses. Ora, se antes imperava em mim um estilo absolutamente casual, adaptar-me a toda esta realidade do "mais-formal-é-impossível" foi (e continua a ser) difícil. Para ajudar, por volta dos meus 20 anos perdi cerca de 10 kilos. Muitas pessoas podem pensar que a perda de peso só traz vantagens, mas há todo um processo de adaptação que custa. Não é de um dia para o outro que deixamos de ser a adolescente gorda, para sermos a já mulher mais engraçada, magra e confiante. É difícil ultrapassar o desejo de nos escondermos atrás de roupas largas, é complicado perceber que já podemos usar os vestidos que sempre nos pareceram inacessíveis, custa conseguir achar que realmente podermos estar bonitas. Já passaram dois anos, com mais ou menos oscilações de peso, nunca voltei ao que era. Sinto-me um bocadinho mais confiante, mas por outro lado, também sinto que não consigo tirar o máximo partido das minhas potencialidades (porque todas as temos, não é?).

E é por isto que eu preciso da Babi... Porque como qualquer mulher adoro compras, adoro roupas, amo sentir-me bonita, mas sinto que preciso de mais, preciso de alguém que me ensine a simplificar este verdadeiro drama que pode ser.
Mas se não for eu, também não deixo de gostar de si por isso!"


E por fim: A Marta M. (Pela ideia, pela intenção tão querida, que não resisti).

"Olá Babi,

Quando vi este passatempo só pensei em dar os parabéns por esta iniciativa. Gostava de concorrer. Mas sou sincera, não era para mim mas sim para a minha mãe. Eu tenho a sorte de ter 22 (quase 23 anos), ser magra e alta e por isso poder usar quase tudo sem cair no ridículo. A minha mãe tem 50 anos. Duas filhas, um marido e muitos alunos por cada ano, visto que é professora, a criarem cabelos brancos todos os dias. Apesar de eu e o meu pai a empurrarmos, às vezes, para se vestir melhor, tratar e cuidar de si, oferecer prendas com qualidade... a maior parte das vezes é em vão. Preciso de ajuda, para ela entender que uma mulher cuidada, mais elegante, bem vestida, é mais feliz e parece muito mais nova!
A minha mãe é um bom desafio. Não é difícil mudar e torná-la melhor. Mas será muito difícil mudar a mentalidade dela! Aceita o desafio? Espero que sim!"


Muitos Parabéns às três!

CONVERSATION

0 comentários:

Enviar um comentário

Back
to top